A experiência de um show de rock ao vivo em novo livro de escritor gaúcho

Márcio Grings / Pablito Diego

As restrições necessárias para conter as infecções do novo coronavírus incluem — pelo menos ainda no Brasil — a não realização de shows musicais. Uma situação que, além de prejudicar financeiramente inúmeros artistas e profissionais do setor de entretenimento, deixa uma legião de fãs órfãos do consumo de música ao vivo. Como alternativa para amenizar a ausência de espetáculos desse tipo, o escritor Márcio Grings lança uma coletânea de resenhas sobre apresentações que presenciou nos últimos 23 anos. Quando o Som Bate no Peito — expressão usada para descrever a experiência sinestésica de assistir a uma banda ou músico in loco — traz 34 relatos cobrindo performances internacionais de nomes como Bob Dylan, Paul McCartney, Rolling Stones, The Who, Roger Waters, Eric Clapton, Buddy Guy, Deep Purple, Black Sabbath, entre tantos outros. As 130 imagens que ilustram o trabalho, parte delas destacadas em um álbum colorido, foram feitas por 18 fotógrafos profissionais, alguns com passagens por veículos como GZH e Rádio Itapema. A pré-venda da publicação já está no ar pelo hotsite interativo, e o lançamento oficial ocorre em 8 de junho.

Capa do livro “Quando o Som Bate no Peito”, de Márcio Grings / Reprodução

“Quando o Som Bate do Peito resgata diversas sensações de como presenciar um espetáculo musical ao vivo é uma experiência transformadora. Não há DVD, Blu-ray ou smartphone que consiga parear a sensação de estarmos no olho do furacão, entre o público, no centro dos acontecimentos, na ‘primeira fileira’ de um show. Se você está num pub, num teatro, casa de espetáculos, estádio, ao ar livre ou nos bastidores — quando o som bate no peito do espectador, do repórter, do fotógrafo —, essa fonte da juventude nos conecta à energia do êxtase, o merecido prêmio por escolhermos a música como um elemento significante de nossas vidas”, explica Grings.

O nono livro na carreira do músico, escritor e produtor cultural traz narrativas que não se restringem a listar repertório, colocando impressões pessoais sobre cada imersão sonora em meio ao público. Além disso, a obra traz informações históricas dos artistas resenhados. Representante e defensor do jornalismo musical, Grings volta os holofotes para a atividade da cobertura de shows e deixa explícito que falar sobre música com propriedade é uma atividade complexa e reveladora. Para tanto, o autor evoca lembranças e as próprias experiências, seja como comunicador de rádio, jornalista cultural ou vendedor de discos.

“Escrever sobre música é uma experiência transcendental. Invariavelmente, canções refletem nossas alegrias, tristezas, dilemas e aspirações. A música possui o poder de traduzir o intraduzível. Olho para trás e percebo o óbvio: meus dias e noites foram tomados por LPs, CDs, fitas cassete, vídeos, revistas, livros, ensaios, estúdios de rádio, lojas de discos, downloads, gravações e inúmeras viagens que me conduziram até à frente de um palco. A experiência musical ainda é uma das maiores epifanias da minha vida, é definidora de individualidades e do homem que sou”, pontua Grings.

A pré-venda também ocorre no site do selo Memorabilia (memorabiliastore.com.br). Quem adquirir o livro nesse período terá frete grátis para todo o Brasil e, ainda, receberá cópias autografadas, palheta de guitarra personalizada e marcador temático. Todos os leitores terão acesso a QR codes que permitem a visualização de imagens que não entraram na edição final, vídeos e playlists exclusivas. Assim como em um show, a ideia é envolver o público com recursos diversos. No caso do livro, para além da leitura, com possibilidades audiovisuais que não apenas complementam a experiência contida nas páginas, mas também resgatam memórias e viabilizam momentos agradáveis.

O lançamento oficial, em 8 de junho, terá uma live streaming pelo Facebook Grings Memorabilia (www.facebook.com/Gringsmemorabilia), com participação do músico Vinicius Brum tocando canções que fazem parte de alguns textos da publicação, além de um bate-papo com o autor e com fotógrafos que colaboram para a obra. Outras ações de divulgação estão programadas, como uma conversa on-line sobre os 80 anos de Bob Dylan com o jornalista Eduardo Bueno, o Peninha, em 24 de maio, dia do aniversário do bardo norte-americano. O papo ocorre via Youtube, pelo perfil Pitadas do Sal.

Quando o Som Bate no Peito é um lançamento da Memorabilia Store, contendo 224 páginas e cerca de 140 fotos no total — sendo 71 coloridas encartadas em um libreto de 40 páginas em papel couchê. As imagens foram clicadas por 18 fotógrafos profissionais e acostumados com a correria para tentar captar bons momentos dos músicos em ação: Adriana Franciosi, Ana Bittencourt, Camila Gonçalves, Carlos Macedo, Cris Santoro, Ericson Friedrich, Fabiano Dallmeyer (in memoriam), Fábio Codevilla, Fábio Mattos, Gika Oliva, Isadora Neumann, Juliana Pozzatii, Lauro Alves, Pablito Diego, Rafael Cony, Ton Müller, Yuri Weber e Zé Carlos de Andrade.

Para mais detalhes sobre o livro, acesse este link e aproveite as possibilidades sensoriais. De preferência, com música.

Sobre Rock Gaúcho 3142 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.