Apanhador Só lança seu novo disco dia 11 de novembro no Theatro São Pedro

Apanhador Só / Divulgação

“Meio que tudo é um” é o terceiro álbum da banda Apanhador Só, originada em Porto Alegre e destaque na cena musical brasileira contemporânea. Com 15 canções gravadas majoritariamente em uma antiga casa de madeira no Morro da Borússia, no município de Osório (RS), entre novembro de 2016 e abril de 2017, o disco tem produção e mixagem do trio em parceria com o músico e engenheiro de som Diego Poloni. O álbum ganha lançamento dia 11 de novembro, às 21h, no Theatro São Pedro, antes do grupo iniciar uma série de shows por cidades brasileiras.

Formado em 2006 por Alexandre Kumpinski (voz, violão e guitarra), Felipe Zancanaro (guitarra, bateria, sampler e percussão) e Fernão (baixo, teclados, lira e percussão), o Apanhador é reconhecido no país e exterior. Venceu o Prêmio APCA de “melhor álbum de música popular” por “Antes que Tu Conte Outra”, em 2013, ano em que recebeu indicação ao Grammy Latino e foi eleito um dos melhores shows nacionais pela Folha de S.Paulo. Ao longo de sua trajetória, o trio ainda marcou presença em prêmios como Multishow e Açorianos (que rendeu os troféus de “melhor disco pop” para “Apanhador Só” e “Antes que tu conte outra”, e de “melhor intérprete” para Alexandre Kumpinski), e se destacou em palcos como South bySouthwest (EUA), Vive Latino (México), Circulart (Colômbia), Festival de Las Artes (Costa Rica) e Lollapalooza Brasil, além de ter sido elogiado por publicações como The New York Times, El País e The Guardian.

Financiado coletivamente, “Meio que tudo é um” conta com participação especial de expoentes da nova geração sul-americana, como as cantoras Dolores Aguirre e Julia Ortiz, do PerotáChingó (Argentina/Uruguai), o bardo mineiro Luiz Gabriel Lopes (Graveola e o Lixo Polifônico) e o cantor-compositor gaúcho Thiago Ramil. O projeto gráfico é do artista Daniel Eizirik e a masterização do LP, de Felipe Tichauer. Ao vivo, o Apanhador reúne também Poloni (guitarra, teclados) e Bruno Neves (bateria, percussão). Transformadas em instrumentos rítmicos, as sucatas que a banda leva ao estúdio (baldes, sinos, conduítes, a inseparável bicicletinha vermelha, entre outros) acompanham os integrantes no palco.

A banda vem chamando a atenção desde o CD de estreia “Apanhador Só” (2010), que a crítica elegeu como um dos melhores daquela safra — a produção, aqui, é de Marcelo Fruet. No ano seguinte, veio a fita-cassete “Acústico-Sucateiro”, com versões exploratórias de composições já conhecidas, como “Um Rei e o Zé” e “Prédio”, e a inédita “Na Ponta dos Pés”. Em 2012, em coprodução com Curumin, o Apanhador divulgou o vinil de sete polegadas “Paraquedas” (com a faixa-título no lado A e “Salão de Festas” no lado B). Já os produtores Gustavo Lenza e Zé Nigro juntaram-se aos porto-alegrenses nas gravações de “Antes que tu conte outra”, título que alçou o grupo à linha de frente do cenário nacional. O álbum é o primeiro trabalho do grupo realizado via crowdfunding, recurso do qual eles se tornaram uma das principais referências no meio musical.

A bem-sucedida campanha de “Antes que tu conte outra” aqueceu os motores para o projeto “Na sala de estar”, que em 2016 permitiu ao Apanhador desbravar todas as regiões do país em uma centena de apresentações em espaços residenciais, sempre em aliança com o público. Este crowdfunding envolveu a compra de um carro, de um reboque e de todo equipamento técnico necessário para que o trio pudesse montar um show completo em qualquer local, por conta própria. Após sete meses longe de casa e milhares de quilômetros rodados, a banda vendeu o automóvel e aplicou toda quantia na criação e no lançamento de “Meio que tudo é um”, obra que retrata a experiência libertadora – e a iniciativa inspiradora – da trupe.

Todo repertório do Apanhador está disponível em serviços de streaming e para download gratuito no site www.apanhadorso.com.

Meio que tudo é um – lançamento do disco do Apanhador Só
Dia 11 de novembro, 21h
Theatro São Pedro – Praça Marechal Deodoro, s/n

Ingressos:
Plateia — R$ 45 meia / R$ 90 inteira
Camarote — R$ 35 meia / R$ 70 inteira
Galeria — R$ 25 meia / R$ 50 inteira

Condições de meia-entrada:
— com doação de 1 kg de alimento não perecível, 1 peça de roupa ou 1 brinquedo em bom estado;
— para associados da AATSP (ingressos limitados); estudantes, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência (40% da lotação); idosos e classe artística

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro de segunda a sexta, das 13h às 18h30 e aos sábados e domingos, das 15h. Quando tiver espetáculos no teatro, a bilheteria estará aberta até o horário da apresentação, podendo ser adquiridos ingressos.

Venda online: http://bit.ly/MQTEUPOA
IMPORTANTE: Os lugares disponíveis online não correspondem à totalidade dos ingressos à venda.

Classificação indicativa: livre

Sobre Rock Gaúcho 13768 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!