BAAPZ lança single e ironiza comportamentos patéticos

A capa do single “Patético” é de autoria de Guilherme Viñas

Uma letra de significados ilimitados. A linha de baixo que dá início a “Patético”, o novo single do BAAPZ (MG), é o caminho que nos leva a conhecer o personagem da canção, um rapaz exibicionista, previsível e carente de atenção.A faixa encerra um ciclo na carreira do músico mineiro, que em 2021 vai iniciar uma nova fase relacionada ao seu primeiro álbum. Disponível nas plataformas de streaming, a canção é um lançamento Pug Records, selo juiz-forano que completa 10 anos em 2020.

“Acima de tudo, lançar essa música é um processo necessário para que eu possa expor outros lados da minha composição como artista, apresentando letras mais extensas, pessoais e sem filtro. A letra é universal, infelizmente todo mundo já se deparou com o personagem descrito nos versos ”, avisa BAAPZ.

O single “Patético” sucede o EP, “Remoto” (2019). Produzido e gravado na mesma época do registro de estreia, a música ficou de fora por não dialogar com o conceito das demais faixas, que abordam o tema distância em relação ao tempo e aos espaço. “Desta vez, a distância é algo desejável.”, analisa BAAPZ.

Composta há cinco anos, “Patético” surgiu de conversas que BAAPZ teve com um amigo, que descrevia o comportamento patético de um colega em comum. Na mesma época, o músico se aborreceu com outra pessoa da mesma estirpe e resolveu descarregar os sentimentos no papel.

“Essa letra saiu como um espirro. Talvez seja minha única letra que quase não teve revisões. Gravei tudo sozinho, mas, assim como em Remoto, senti a necessidade de ter mais impacto e soar menos robotizado. Então, contratei o Marcio Reis para substituir as baterias programadas por uma de verdade. O maior desafio para mim é sempre cantar, mas acho que eu assumi uma vibe mais despojada da produção que me fez abraçar alguns erros e brincadeiras que estavam desde a primeira demo da música.” revela BAAPZ.

Em tempos de pandemia, as fotos de divulgação foram realizadas pelo Google Meets, com direção de câmera de Bruna Schelb Correia, que também idealizou as máscaras. No entanto, a confecção foi do próprio BAAPZ, que utilizou papel pardo, extraído de embalagens de delivery. Depois de finalizadas, surgiu a ideia de recriar a máscara em versão de filtro de Instagram, para engajar os fãs durante o lançamento do single.

A capa do single “Patético” é de autoria de Guilherme Viñas, que elaborou os gráficos em cima da ideia de BAAPZ, que queria um pato como representação ingênua do ser patético.
“Não perguntei o que ele quis dizer com a inserção de outros elementos na imagem. Tentando ser direto, acho que ele conseguiu envolver tudo aquilo que rodeia a definição de patético. Ele apresenta temas que são tabus em sociedade como a sexualidade (o gato se masturbando enquanto permanece de costas), religiosidade (o anjo catequizando os outros patos) e política (os patos fazendo uma saudação nazista)”, explica BAAPZ.

BAAPZ é o projeto solo de Pedro Baptista, músico de Juiz de Fora (MG) que surgiu na cena independente como baixista na banda de shoegaze Alles Club e também produz o projeto Macintushie, do selo midsummer madness. Participaram de “Patético” os músicos Pedro Baapz (produção e instrumentos, exceto bateria) e Marcio Reis (bateria). A mixagem e masterização foi realizada por André Medeiros. Nas fotos de divulgação, além de Bruna Schelb Correia (direção), também participaram Luis Bocchino (direção de fotografia) e Bernardo Baptista (operador de câmera).

Ouça Patético no Spotify: http://bit.ly/patetico_spotify

por OrBe Comunicação

Sobre Rock Gaúcho 2967 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.