Banda Levitan e os Tripulantes lança disco nesta sexta-feira

Cláudio Levitan e sua banda apresentam nesta sexta-feira, no StudioClio, um espetáculo misto de música, teatro e acerto de contas. Será o show de lançamento do primeiro CD do grupo Levitan e os Tripulantes, que traz músicas novas e canções conhecidas, como Ana Cristina e Marcou Bobeira.

Pode-se dizer que o disco de 14 faixas é resultado de mais de quatro décadas de criação – não por acaso, o trabalho tem o subtítulo Projeto LP (de Longa Peregrinação). É como uma síntese da obra de Levitan, compositor de 59 anos cuja face mais conhecida são canções como Nada Mais e a já citada Ana Cristina – uma apareceu no histórico LP do grupo Saracura, lançado em 1982, outra está no repertório do consagrado espetáculo Tangos & Tragédias. O álbum contempla tudo isso e até recupera Se Você Me Amasse, música que Levitan escreveu ainda estudante para participar de um festival no Colégio Israelita, no final dos anos 1960.

Essas e outras músicas escritas mais recentemente, como a lúbrica Sétimo Dia e a épica Divina Comédia, ganham no disco uma roupagem diversificada, no qual o formato de grupo de rock permite também experimentações com o tango, o baião e o erudito. A teatralidade da banda – completa com Alexandre Kumpinski (guitarra), Leonardo Brawl (baixo), Julio Rizzo (trombone) e Carina Levitan (a filha do compositor tocou bateria nas gravações e, como agora mora em Londres, será substituída ao vivo por Mauro Bruzza) – e das próprias letras será explorada no palco. Será como um contraponto lúdico ao projeto anterior de Levitan, Minha Longa Milonga (2000), no qual o compositor exorcizava a dor pela perda de parte da família em um massacre de judeus ocorrido na Lituânia em 1941.

A leveza do novo trabalho está expressa na contracapa do CD com o epíteto Música P.R.A. (Popular de Raízes Aéreas).

– Esse espetáculo pretende ser algo que nos dá prazer, e também ao público. Os figurinos dos músicos remetem a personagens e naves espaciais, mas é meio medieval, meio mambembe – descreve Levitan, antecipando: – Acho que vamos conseguir fazer a nave voar.

A história de algumas das músicas do disco de Levitan e os Tripulantes:

Se Você me Amasse – Escrita quando o autor tinha entre 15 e 16 anos, ganha nova versão com um quê de rockabilly.
Amelita – Levitan chegou a tocar a canção para Astor Piazzolla e Amelita Baltar depois de um show dos argentinos em Porto Alegre, em 1973. A letra explica a proposta: “Às vezes a gente fica entre o tango e o baião”.
Sifo – Com a divertida letra de duplo sentido, apareceu em algumas apresentações do espetáculo Tangos & Tragédias.
Ana Cristina – Presente no Tangos & Tragédias desde a estreia, em 1984, agora é revisitada com passagens mais rápidas e letra declamada.
Marcou Bobeira, Nada Mais e Alma do Povo – Músicas que estavam no repertório do grupo Saracura nos anos 1980. As duas primeiras estão no LP que o grupo lançou em 1982 e agora têm versão mais roqueira.
Sétimo Dia e Divina Comédia – Criadas nos anos 2000, têm inspiração literária: uma na Bíblia, outra na obra de Dante.

Sobre Rock Gaúcho 13768 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!