Banda Nenhum de Nós toca no 3º Salão Internacional do Artesanato, em Brasília/DF

A programação inclui também homenagens a grandes mestres artesãos, espaço gastronômico, festival de folclore, palestras, oficinas e grandes shows.

O governo do Estado, por meio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), a partir desta sexta-feira (5), leva o artesanato sul-mato-grossense ao 3º SALÃO INTERNACIONAL DO ARTESANATO que acontece até o dia 15 na Expo Brasília – Pavilhão do Parque da Cidade.

A FCMS disponibilizará para visitação e comercialização stands que com a parceria de associações como a Uniart, Proart, Fenart, Artems e Incubdora Zé Pereira, irão apresentar cerca de 150 produtos diversificados de artesãos de todo o Estado, que têm como matéria-prima o couro, fibras vegetais, cerâmica,madeira, ossos, chifres, tecidos e outros. Entre os produtos destacam-se cestos e balaios em fibra, objetos decorativos e utilitários, bugras, negras, santos e bichos do pantanal em cerâmica, travessas e tijelas em madeira, tapetes e caminhos de mesa. “Iremos apresentar o que temos de mais expressivo no artesanato sul-mato-grossense, com a qualidade e requinte já alcançados pelos artesãos que hoje disputam importantes espaços no mercado nacional e internacional ”, afirmou o presidente da FCMS, Américo Calheiros.

O Brasil todo vai desembarcar em Brasília, com sua singularidade, riqueza, requinte, beleza, diversidade. Peças confeccionadas em alguns dos mais recônditos lugares deste país continental encontrarão espaço nos estandes do 3º SALÃO INTERNACIONAL DO ARTESANATO. A realização é da Rome Feiras e Promoções, mesma empresa que promove, há 18 anos, a EXPOTCHÊ em Brasília.
Distribuídos num espaço total de 35 mil m², mais de 200 estandes dos estados brasileiros e do Distrito Federal dividirão as atenções com o artesanato internacional, mobilizado pelas embaixadas sediadas em Brasília, com enfoque especial no trabalho dos artesãos dos países ibero-americanos. Haverá ainda um espaço especial para o artesanato indígena. A programação inclui também homenagens a grandes mestres artesãos, espaço gastronômico, festival de folclore, palestras, oficinas e grandes shows.

Ao longo de duas semanas, quatro grandes atrações da música popular brasileira estarão se revezando num palco especialmente criado dentro do espaço do 3º SALÃO INTERNACIONAL DO ARTESANATO, com cenografia e iluminação especiais. A programação foi escolhida a dedo: no dia 6/11, a cantora Maria Rita; dia 10, a banda gaúcha Nenhum de Nós; dia 11, Frejat; e no dia 14, um dia antes do fim da feira, Arnaldo Antunes. Os shows terão preço diferenciado do ingresso do SALÃO. Os espectadores que adquirirem entradas para as apresentações poderão circular pela feira e receberão, gratuitamente, dois convites para voltar ao SALÃO em qualquer outro dia.

Esta é a terceira edição de um evento que está se tornando tradicional em Brasília. Em 2009, contando com a participação de 19 estados, mais uma expressiva representação do artesanato do Distrito Federal e entorno, o SALÃO recebeu 80 mil visitantes e movimentou R$ 5 milhões em negócios realizados durante a Rodada de Negócios e a comercialização direta nos estandes. Para 2010, os organizadores esperam aumentar significativamente estes números. E já começa crescendo: o SALÃO INTERNACIONAL DO ARTESANATO 2010 contará com a presença de 25 estados e do DF e espera chegar a 100 mil visitantes e R$ 7 milhões em negócios realizados.
Artesanato sul-mato-grossense.
 
Aqueles que representam diversidade cultural e criativa do povo brasileiro, os artesãos, têm recebido uma atenção especial do Estado de Mato Grosso do Sul. Com o incentivo da Fundação de Cultura de MS, o artesanato sul-mato-grossense é presença marcante no mercado nacional e a visibilidade de seus produtos artesanais é alcançada principalmente pela participação em feiras estaduais e nacionais. Profissionais do Estado também conquistaram o prêmio Top 100, do Sebrae, obtendo reconhecimento pela qualidade dos trabalhos.  
 
Além disso, a FCMS vem multiplicando os núcleos de produção do Estado, por meio do projeto Artesania, que leva oficinas de diversos ramos do fazer artesanal para comunidades do interior do Estado, aproveitando sempre as potencialidades de matéria- prima de cada local. Ele visa resgatar também, os ofícios tradicionais transformando-os numa possibilidade econômica de geração de trabalho e renda nas comunidades.  
 
Entre as oficinas realizadas figuram as que utilizam a palha de milho e de bananeira, frutas típicas para a produção de doces em compotas e cristalizados, fibra de taboa, tecidos, crochê e bordado com motivos pantaneiros, modelagem em cerâmica, madeira, osso, bambu, cabaça, entre outras.  
 
Os artesãos recebem ainda capacitações para gestão dos produtos como formação de preços, a elaboração da identidade visual, criação de embalagem, logomarca, rótulos e material de divulgação, para agregar valor na comercialização dos produtos e atender as exigências do mercado consumidor.  
 
A Gerência de Desenvolvimento de Atividades Artesanais da FCMS fica no Memorial da Cultura e da Cidadania na Av. Fernando Corrêa da Costa, 559 – 5º Andar. Mais informações nos telefones 3316-9107 e 3316-9333.

Sobre Rock Gaúcho 13400 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!