Barbarella: Rock das antigas – Show em Santa Rosa

Uma das bandas mais antigas do Rio Grande do Sul e do Brasil na ativa, e seus 40 anos de sedução, Barbarella. Se apresentou em Santa Rosa, no Centro Cívico, a banda formada por Nando Rosa(vocal), Andy Ruwer (guitarra), Geres (contra-baixo), Titon (teclado) e Kinho (bateria) e o vocalista, tecladista, gaiteiro, saxofonista, violinista, Ivo Spohr, líder e integrante mais antigo do Barbarella, em seu primeiro show da Tour de flashback no Rio grande do sul e região.

O show durou em torno de 1 hora e meia, e trouxe a recordação a tona de muitos sucessos dos anos 80 para o público, incluindo a obra prima Another brinck in the wall do disco The Wall do Pink Floyd, entre outras grandes bandas.

O vocalista Nando Rosa, que mais parecia uma fusão do David Bowie com Michel Teló (comentei isso com ele) tinha um belo timbre e junto de solos de guitarras, teclado, baixo, muita bateria e até saxofone, a banda cativou o público que o assitia e o acampanhou batendo palmas, cantando e em certos momentos alguns levantavam da cadeira para dançar junto. Em especial uma garota com uma camisa do Slipknot dançou com Nando (vocal). A banda Bandarella em si, lembra um pouco o estilo dos Anjos do Hanngar, aquele rock romântico apaixonante, pode-se perceber uma influência musical neles.

Há quem diga que o estilo da banda lembre as bandinhas atuais da nossa região, isto está errado, por que na verdade as bandinhas atuais é que foram influênciadas por Barbarella e bandas como Os Atuais, Terceira Dimensão.
Mais informações sobre o show em:
http://santarosashows.blogspot.com/2012/02/barbarella-em-santa-rosa-40-anso-de.html

As músicas que foram tocadas (set list comentado):
O palco estava bem organizado com os refletores de luz e efeitos especiais, o que me chamou atenção logo de cara era aquele refletor lateral que havia vários luzes num só, a moda antiga.

Depois do povo chegar, pelas 21:30 o show começa, me deparo com o vocalista, Nando Rosa, saindo do escuro e vindo reto em direção ao microfone, e anunciam a banda, e eles saiem do escuro e ligam as luzes. Eles abrem o show com muita atitude e iniciam com o sucesso Só uma canção, em seguida tocam Show de Rock N’ Roll do Roupa Nova, Queen – I Want To Break Free pra matar a saudade com solos de guitarra do Andy Ruwer, o Nando (vocal) divertiu muito o público com palmas, acenos e reboladas.

Após isso, começa o Flash Back com Erasure – Oh l’amour com um belo solo de teclado, e assim seguiu com o sucesso Aldeia. Com um suspense, Andy Ruwer enlouquece o povo com solo do Sweet Child O’ Mine – Guns N’ Roses, junto de The Final Countdown – Europe, entre outros sucessos. Homenagiou o Rio Grande do Sul com o segundo hino gaúcho, Querência Amada do Teixerinha.

Rolou também música tema do Rocky Balboa, Michael Jackson – Black and White, Noites de verão – Barbadella, Abba – Dancing queen, Roy Orbison – Pretty Woman, TNT – Eu Sei, Creedance – Have you seen the rain, Roupa Nova – Meu universo é você, Sedução – Barbadella com um lindo solo de teclado executado pelo Ivo (teclado, vocal, saxofone), com Mamonas Assassinas rolou algumas brincadeiras diacordo com a música, em Mulher de Fases – Raimundos, o vocal interagiu com o público e dançou junto.

Para a surpresa de todos se já não bastava os incriveis solos de guitarra, o baixo sinistro e a bateria que não perdia uma, começou o suspense e começou a tocar uma parte breve da obra prima The Wall do Pink Floyd, Another Brick In The Wall part I, seguido de The happiest days of our life, cantada pelo Ivo, foi sensacional e culimando no Another Brick In The Wall II e em especial o autor da resenha do show foi a loucura (risos), foi tudo tão sensacional, a voz do Ivo, os efeitos, a guitarra chorando, a percussão toda. O Nando (vocal) disse algo após do The Wall, algo parecido como como é bom ouvir música de verdade, foi algo nesse sentido, e logo de cara, nesse momento me lembrei de nossas rádios da região que só tocam sucessos populares atuais, principalmente sertanejo universitário, música pop internacional e bandinhas daqui, na minha opinião a grande maioria não passa de poluição sonora.

Encerrando o show com Jota quest, Menina veneno – Richie, passou de todas as expectativas com o Ivo no saxofone, foi maravilhoso de se ver, depois, Rolling Stones, Legião Urbana – Será, U2, Tina Turner – The Best e encerraram com sucesso Só uma canção, e depois de desligarem as luzes, o público improvisou gritando: mais um, mais um, mais um e então eles tocaram um bis e encerraram com muito impulso com Rock das Aranhas – Raul Seixas, o pai do Rock nacional, era só ele que faltava no repertório do show.

A banda permaneceu lá para interação com o público, autografos, abraços, apertos de mãos e fotos com os membros da banda. Os membros eram muito simpáticos, quem pediu, tirou fotos e autografos.

Consegui tirar uma foto junto com Ivo e dos membros da banda, falei com Nando Rosa(vocal) e disse para ele que era uma mistura de David Bowie com Michel Teló e demos risadas. Por último comprei o cd da Barbarella, que aliás custava uma barbada, R$ 5,00 reais e fui embora feliz de ter comparecido ao evento e por ter relembrado os sucessos do flash back e rock, em especial Pink Floyd.

Site da banda Barbarella: www.barbarella.com.br

Sobre Rock Gaúcho 13796 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!