Carlos Maltz lança o livro O Último Rei do Rock: Concorra a 3 exemplares!

Não por coincidência e nem por mero acaso o protagonista da história de O Último Rei do Rock, o novo livro de Carlos Maltz, nasceu no mesmo dia e local da morte de John Lennon. “O livro começou aí e era a única coisa que eu sabia”, conta Maltz, ex-baterista da banda Engenheiros do Hawaii e que lança seu primeiro livro de ficção, pela Belas-Letras.

O livro está em pré-venda na loja virtual da Editora Belas-Letras (os livros serão enviados a partir de 6 de abril).

O livro acompanha um CD autografado e exclusivo do músico e ex-baterista da banda Engenheiros do Hawaii, além de frete grátis para todo o Brasil.

Em parceria com a Editora Belas-Letras, o Rock Gaúcho está sorteando 3 exemplares do livro.

Para concorrer, acesse https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/433110 e clique em Quero Participar!. Aceite o aplicativo do Sorteie.me, que gerencia a promoção e é totalmente seguro, e você já estará participando! Aproveite para curtir a página do Rock Gaúcho e saber todas as novidades musicais do RS.

O sorteio será realizado no dia 11 de março, quarta-feira! Participe!

Nesta entrevista exclusiva, feita pela editora Belas-Letras, Maltz detalha como a astrologia e a psicologia o influenciaram na hora de escrever o livro, sua identificação com o protagonista da história e as recordações dos anos em que esteve nos Engenheiros.

Editora Belas-Letras: Trabalhar como astrólogo e como psicólogo ajudou no processo de escrita do livro?
Carlos Maltz: Esse livro só podia ter sido escrito por um astrólogo. Juan LMK nasceu no mesmo dia, hora e local em que John Lennon morreu. Só um astrólogo poderia ter pensado uma coisa dessas. O livro começou aí e era a única coisa que eu sabia. Então eu tinha o mapa astrológico do Juan. O cara nasceu em Nova York, às 23h45min do dia 8 de Dezembro de 1980. Coloquei o mapa astrológico do cara na parede e comecei a fazer um estudo psicológico da figura, que é exatamente o trabalho que eu faço no meu consultório. De repente, Juan LMK criou vida no meu quarto e começou a me contar a sua história. Eu só fiz escrevê-la.

Belas-Letras: Você se identifica com Juan LMK?
Maltz: Alguém, eu não lembro quem, disse: toda autobiografia é ficção e toda ficção é autobiografia. Sim, Juan LMK tem algum parentesco comigo. Nós dois somos judeus errantes sem pátria e sem vínculos com o próprio passado. Teremos futuro? S.D.S. (Só Deus Sabe) bom… Leia o livro e tire suas próprias conclusões.

Belas-Letras: Você disse que seu processo de escrita é sem planejar. Como O Último rei do rock foi escrito?
Maltz: Quando eu comecei a escrever o livro a única coisa que eu tinha era o mapa astrológico do Juan LMK. Ela foi sendo escrita em tempo real, ou seja , eu só sabia o que estava escrevendo. Não tinha a menor ideia do que ia acontecer depois e nem da maneira como aquilo tudo ia terminar. O livro me surpreendeu demais. Não sei se positivamente. Eu jamais teria escrito um final daqueles, tão anti-heroico.  A culpa não foi minha, a culpa é toda do Juan LMK.

Belas-Letras: O Último rei do rock se passa em 2020 e em Brasília, cidade que você mora atualmente. Brasília é um lugar bom para viver?
Maltz: Para um ex-estudante de arquitetura, morar em Brasília é um sonho real. Como Juan LMK diz, Brasília é a acrópole de concreto, uma não-cidade perdida em algum espaço tempo que ainda não existe e nem sabemos se existirá um dia. Daqui, olhando pra trás, vislumbro o futuro que já passou. 2020 é aqui e agora.

Belas-Letras: Quais as principais recordações e ensinamentos do tempo de Engenheiros?
Maltz: Infinita Highway era a nossa Bíblia. Nós vivíamos aquilo mesmo, não era só uma letra de música, e quando deixamos, pelo menos eu deixei de seguir aquela religião, a banda implodiu. Com a banda aprendi a viver de arte, não só no sentido financeiro, mas existencial. Com a lei da Highway, aprendi que vida é arte e arte é vida. Se não for assim, melhor não se meter com isso.

Belas-Letras: O que os leitores, tanto os seus fãs como os fãs da banda, podem esperar de O Último rei do rock?
Maltz: Apesar dos meus cabelos não serem mais os mesmos, eu continuo o mesmo maluco que coloca a alma na frente e corre atrás. Ninguém é obrigado a concordar e nem a gostar do que eu penso e digo, mas uma coisa podem ter certeza: eu não fico em cima do muro e nem morro de tédio. Eu não saí do processo de escrita desse livro do mesmo jeito que entrei. E eu garanto que você também não vai.

No dia 9 de abril, quinta-feira, a partir das 19hs, o músico autografará o livro na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em Brasília/RS.

Sobre Rock Gaúcho 13796 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!