Da Guedes

Em 1993, no Bairro Partenon, mais especificamente na Rua Guedes da Luz, surgiram os DA GUEDES. Nestes nove anos de estrada o grupo enfrentou inúmeras dificuldades como todos do movimento, mas não se deixou abater. Foram muitos shows, para públicos variados, ao lado, tanto de bandas como Planet Hemp, Bezerra da Silva, os locais Ultramen, como dos essencialmente Rap Racionais Mcs, Pavilhão 9, Thaíde & Dj Hum e Marcelo D2. Após a lançamento da demo A CASA Ñ CAI em 97 e o relançamento da mesma em janeiro de 98 em CD; Finalmente o contrato, com a Gravadora Matraca/Trama é chegada a hora, o disco Cinco Elementos, muito bem produzido por DJ HUM- grande personalidade do Hip Hop nacional -, lançado em todo Brasil em Julho/1999. Onde se destacaram pelas músicas, Minha Cultura; com a participação de Paula Lima, Poa; Isso é Brasil; e Vê se muda, e que proporcionou ao grupo fazer shows , em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, e Rio de Janeiro, e várias cidades do interior do RS. A coerência e universalidade do trabalho ficam bem claras nas letras inteligentes do grupo, que não se limita a um só assunto, nos bons vocais de BAZE, NITRO G e NEGRO X, nos scratches bem colocados pelo Dj DEELEY .Em seu CD de estréia, o grupo não deixa nada a desejar. Sem sombra de dúvidas mais de 50 minutos de bom rap nacional com identidade e sonoridade próprias. Em 2002 eles estão de volta à cena do Rap brasileiro com um novo trabalho, uma nova gravadora – ORBEAT MUSIC – e uma nova formação (Nitro G saiu do grupo e entrou Guibs), O novo trabalho se chama – Morro seco, mas não me entrego, uma citação ao lema dos soldados da tropa de um dos heróis da guerra dos farrapos – Guedes da luz. De cara o material gráfico do cd chama atenção por reproduzir um jornal antigo, no encarte a banda quis mostrar um pouco da parte cultural do povo gaúcho mostrando as quatro formações étnicas – Alemães, Italianos, Negros e Índios. O disco proporciona o grupo a fazer uma turnê em 2003 e 2004, por todo Rio Grande do sul desbravando cidades onde o rap nunca tinha chegado – e no final da tur fechando com Chave Mestra – O grupo foi convidado para participar do festival de Música de Sanary na França… 2004 – DG vs A luz falsa que hipnotiza o bobo – esse é o nome do novo álbum – Que fala por si próprio, o que é A luz falsa que hipnotiza o bobo ? – simplesmente é só olharmos ao nosso redor que veremos. Vem de encontro e contra a tudo que deturpa a cultura, tudo o que o sistema tenta nos mostrar que é bom menosprezando a inteligência do povo, a mídia que nos mostra o que ela quer, os políticos em cima dos palanques tentando mais uma vez nos passar pra trás, o moleque que acha no crime a saída para seus problemas, etc… enfim todas as luz falsas que aparecem na nossa frente a fim de buscarmos nela uma saída. A produção foi do Baze com exceção de Redenção – por Solo e Sobre a luz e o túnel – por Nitro Di – A 1º faixa fala de Guerrilha – com a participação de Marieti Fialho no refrão, a banda fala de táticas usadas nos campos de batalha mas que são facilmente trazidas para a vida comum, na música Noite, a banda mostra a sua evolução, Baze e Negro X transformam a cidade grande em uma selva, a voz de Bira Matos no refrão é impressionante. O disco é o mais intimo de todos, nas letras a banda fala de suas vidas, mais optou muito mais pelos momentos de alegria do que os de tristeza, isso fica claro nas músicas Tempo Passa – c/ participação de Spam e Lem, Jogo da vida e Afu – essa produzida por Dj Hum e com participação do Mc Prego – Em Jornada eles cantam para os trabalhadores e guerreiros do dia-a-dia, refrão cantado por Mayara Leal, Bira Matos e Juliano Barreto. Em Cinco Elementos eles cantaram o Hip-Hop em Minha cultura, em Morro Seco Mas Não Me Entrego dedicaram uma faixa aos B-boys e B-girls e a intitularam de Hackers Crew, que é o nome de uma Equipe de Break que os acompanha há alguns anos em apresentações. Nesse novo disco foram um pouco mais longe e o B-boy Ted da Hackers Crew canta umas das músicas, o título é Mesmo!. O disco foi mixado por Rica Amabis e Tejo (Instituto), e reflete a maturidade do grupo e a experiência adquirida em mais de 10 anos envolvidos com música. Esse disco promete com previsão de chegada nas lojas de todo o Brasil em Agosto de 2004 – Assim como o líder dos Farrapos – que fizeram o movimento revolucionário gaúcho do começo do século – que dá nome à rua que o batizou, DA GUEDES se mostra um grupo guerreiro. Vindo do sul do Brasil com muita garra e determinação, fará seu brado ecoar por toda a nação.

Contato:
E-Mail: [email protected]
Site: http://www.daguedes.com.br