Duo Deno participa do projeto Ocidente Acústico no próximo dia 28

Arthur de Faria e Fernando Pezão, músicos de múltiplas atuações, velhos amigos, já haviam produzido juntos alguns discos de artistas gaúchos. Há sete anos resolveram formar sua própria banda, que transitaria livremente por um arco que vai de Adoniran Barbosa a Lou Reed, passando por Odair José, Beatles, Raul Seixas e Lupicínio Rodrigues, além de muitas composições próprias. Líderes e discípulos de uma nova corrente musical inventada por eles, a CPM (canção popular melodramática), gravaram em 2006 seu primeiro disco. Que, pelo mistério da falta de back up, se desvaneceu no cyber-espaço. Perderam tudo.

Em novembro de 2010 consideraram que quatro anos de depressão já eram suficientes, retomaram os trabalhos e reestrearam com shows na Casa de Francisca e no Studio SP, em São Paulo; Casa de Teatro e Teatro de Arena, em Porto Alegre; e no magnífico Teatro 25 de Mayo, em Buenos Aires, no festival Músicas del Sur II (com Fernanda Takai, John Ulhôa e Omar Giammarco como convidados). No momento, gravam o que, agora sim, será seu primeiro disco, com produção de John Ulhôa e André Abujamra.

O máximo com o mínimo é a idéia central dessa big-band liliputiana. É como se, em crise, um circo de interior demitisse quase toda sua orquestra, e só sobrasse o mínimo para que o show não parasse: voz, piano/acordeom e bateria. Com isso, eles tem de encarar o que quer que venha pela frente – para isso são as bandas de circo. Portanto às vezes podem soar como um projeto eletrônico e logo em seguida como uma orquestrinha tropical dos anos 1940. E achando tudo ótimo.
 
Fernando Pezão é um dos fundadores, compositor e baterista dos Papas da Língua – 7 CDs e dois DVDs lançados, sucesso no Brasil e Portugal. Antes disso, integrava o Musical Saracura, banda gaúcha mais importante da virada dos anos 70 pros 80. Antes ainda, fez parte da última formação dos Almôndegas. E mais antes ainda… era do Mantra, banda que fez furor nos concertos Vivendo a Vida de Lee, no meio dos anos 70. Entre uma coisa e outra, produziu uma dezena de discos de artistas como Nei Lisboa, Claudio Levitan e Nico Nicolaiewski.

Arthur de Faria era fã do Almôndegas desde os 6 anos de idade. Do Saracura, desde os 12. Dos Papas, desde antes da fundação. O Mantra ele só ouviu em 2010 (mas adorou). Enquanto acompanhava a carreira do Pezão, produziu 25 discos, lançou 6 CDs, escreveu música para 30 peças de teatro, curtas, longas e media metragens. Dirige há 16 anos o combo Arthur de Faria & Seu Conjunto e é um dos integrantes da banda mercosulina Surdomundo Imposible Orchestra.
 
Página provisória do Duo: http://arthurdefaria.tnb.art.br/
 
Soundcloud do Duo: http://soundcloud.com/duo-deno
 
Arthur de Faria – piano, teclado, acordeom, kalimba, mandolim e voz.
Fernando Pezão – bateria, percussão, piano, piano de brinquedo e voz.

Serviço:
Show com Duo Deno
QUANDO:  28 de fevereiro (quinta) de 2013 – 22 horas  
QUANTO: Ingressos a R$20,00 (vinte  reais)
ONDE: Bar Ocidente – João Telles esq. Osvaldo Aranha
INFORMAÇÕES: 51 3312 1347 – www.ocidente.com.br

Sobre Rock Gaúcho 13796 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!