Ed Motta se apresenta no Opinião no próximo dia 18

ED MOTTA: NOTA DE CANCELAMENTO

O show de Ed Motta, previsto para ser realizado nesse sábado, dia 18 de abril, no Opinião, foi cancelado. Depois do ocorrido na última semana, o cantor se encontra psicologicamente abalado e sem condições de se apresentar ao vivo. O espetáculo será remarcado para uma nova data, em junho.

A devolução dos ingressos será feita a partir da próxima segunda-feira nos mesmos locais em que foram adquiridos. Para as compras efetuadas pelo internet, basta solicitar o estorno do cartão ou o reembolso pelo e-mail [email protected]

Ed Motta, um dos multi-instrumentistas mais aclamados da música brasileira, voltará ao Opinião, no dia 18 de abril, com um show diferente daquilo que os fãs assistiram durante a turnê do elogiadíssimo “AOR”, ao longo de 2013 e 2014. No espetáculo “Ed Motta Solo”, o cantor se alternará entre o piano, a guitarra e a sua coleção de pedais dos anos 1970 num espetáculo em formato acústico, que não deixará de fora do repertório nenhum das suas principais composições, como “Fora da Lei”, “Baixo Rio”, “Manoel” e “My Cherie Amour”. O músico irá retornar a Porto Alegre em meio uma série de shows que vem sendo realizados na Europa, Estados Unidos e Japão, tanto nas principais capitais do velho continente como em grandes eventos de música realizados por lá, como é o caso do World Music Expo (Womex) de Berlim. No final de março, Ed foi também uma das atrações do Lollapalooza Argentina, em Buenos Aires.

ED MOTTA

Ed Motta despontou em fins dos anos 80, como o vigoroso cantor e um dos compositores e produtores do Conexão Japeri. Uma sensação instantânea no circuito carioca de shows, que o grupo confirmou em seu disco de estreia, Conexão Japeri (Warner), em 1988, com canções como Manuel, Vamos Dançar, Baixo Rio e Um Love. Sucessos marcados por exuberante musicalidade e que introduziam fortes componentes do soul e do funk ao pop rock que então vigorava no Brasil. Logo ficou patente que, aos 16 anos, Ed Motta chegara para ficar e voar bem mais alto.

Dezesseis anos depois, no entanto, nem o mais otimista dos otimistas poderia prever que fosse tão longe. Hoje, é um cantor, compositor, multi-instrumentista, arranjador e produtor de trânsito internacional. Em seu estilo, sem abrir da veia funk-soul, tritura influências que vão do jazz à canção brasileira, das trilhas sonoras de Hollywood ao rock, da música clássica aos standards americanos, da bossa nova ao reggae. O resultado desse amalgama de referências já é reconhecido no mundo todo, confirmado nas turnês que nos últimos anos rodaram a Europa, o Japão, os Estados Unidos e a América do Sul. Em estúdios e palcos, Ed também já trocou experiências com músicos como Roy Ayers, Jean-Paul Maunick (líder do Incógnito), Paul Griffin, Bo Diddley, João Donato, Dom Salvador, entre tantos outros.

Nascido no Rio, em 17 de agosto de 1971, Eduardo Motta cresceu rodeado por música. Sobrinho do criador de um soul com sotaque brasileiro e carioca, o cantor e compositor Tim Maia, ele tem como primeiras lembranças a música do tio, os discos de samba-canção e bossa nova que seus pais, Luzia e Antonio Carlos, ouviam, os sucessos de Earth, Wind & Fire, Stevie Wonder e da disco music que então vigorava na década de 70, e que sua irmã, Regina, já se aplicava. Mas o gatilho para que essa natural paixão pela música virasse uma obsessão foi mesmo o blues-rock britânico: Thin Lizzy, Humble Pie, Led Zeppelin, Free, Rory Gallagher.

Doze discos uma porção de turnês realizadas pelo exterior depois, Ed Motta lançou, em 2013, o seu 13º trabalho de estúdio, chamado “AOR”. Um ourives do estúdio, com fama de perfeccionista, Ed Motta buscou aqui o som perfeito, o timbre ideal, a nota exata – mesmo que isso já faça parte de sua história, desde o começo com “Entre e Ouça” (1992). “AOR” também traz elementos de outros discos, como o acento pop de sua época de maior popularidade, quando gravou “Fora da Lei” e “Columbina”, mesclando às experimentações jazzísticas de “Dwitza” (2002) e “Poptical” (2003). Linear e palatável, o grande segredo de “AOR”, assim como das suas recentes apresentações em formato solo, está nas entrelinhas. “O que tem de trabalho em cima de cada faixa é uma coisa meio rara. Esse tipo de trabalho não aparece muito no Brasil. Não é frieza, é polimento”, diz o cantor.

ED MOTTA
Onde: Opinião (Rua José do Patrocínio, 834)
Quando: 18 de abril, sábado, a partir das 20h
Abertura da casa: 18h30
Classificação: 14 anos

Ingressos:
Pista – LOTE PROMOCIONAL: R$ 50
Pista – 1º lote: R$ 60
Pista – 2º lote: R$ 70
Pista – 3º lote: R$ 80

Pontos de venda:

Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência): Youcom Bourbon Wallig

Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 3 de taxa de conveniência):
– Youcom Shopping Praia de Belas, Bourbon Ipiranga e Barra Shopping Sul
– Multisom Andradas 1001, Canoas Shopping, Bourbon Novo Hamburgo e Bourbon São Leopoldo
– Online: www.minhaentrada.com.br/opiniao

Clube Assinante ZH (válido apenas para as lojas Youcom): 50% de desconto para sócio nos primeiros 100 ingressos / 20% de desconto para sócio e acompanhante nos demais ingressos

Informações:
www.opiniao.com.br
www.twitter.com/opiniao
(51) 3211-2838

Sobre Rock Gaúcho 13768 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!