Entrevista com a banda Capa Preta

A banda Capa Preta está em estúdio com o produtor Farroupilhense Mateus Girardi, gravando material inédito desde a gravação do EP “Nada Que Não Possa Piorar” gravado no início de 2017.

Este vai ser o primeiro registro oficial com o atual vocalista Matuzalém Ferreira (Matuza), a banda revela que o novo EP vai ter 4 Músicas inéditas, e algumas regravações dos EP’s anteriores, algumas músicas que não podem faltar e talvez alguns covers mas ainda está sobre negociação com as editoras.

Em relação às músicas inéditas, duas músicas devem ser lançadas como gravação ao vivo e duas serão gravadas como faixa separadas por canais, somando um total de quatro músicas inéditas.

O Nome do EP já está praticamente definido só não será divulgado ainda por que o conceito Artístico da capa do Full Álbum e também dos singles ainda está em desenvolvimento e novamente o baterista Alysson Gazzana que fica encarregado de criar e desenvolver o material visual do novo trabalho.

Batemos um papo rápido com a com a banda e seu atual produtor para saber mais sobre o que está rolando diretamente pelos caras; Começando o papo com o Matuza Ferreira:

SD-Então meu amigo tudo bom ? como você está hoje?

Matuza: Bem demais

SD-Como está a relação com a Capa Preta Rock como tem sido pra você fazer parte deste projeto?

Matuza: A relação com todos na banda é harmoniosa. Quando surgiu o convite pra ensaiar com a Capa Preta Rock, eu deixei claro que estava parado a alguns anos com a música, pois eu estava priorizando alguns projetos pessoais. Mesmo assim, não hesitei em momento algum, apesar de saber que o projeto é grande, a banda já havia gravado alguns EP’s, e sabe onde quer chegar. Desde o primeiro ensaio, a afinidade musical já foi compreendida e assim ficou fácil encaixar minha voz em algumas músicas da banda. Estou muito satisfeito e feliz, e as expectativas para nosso novo CD estão muito boas.

SD-Como tem sido pra você o processo de gravar este EP?

Matuza: É uma experiência muita gratificante. É bem diferente de ensaiar. Quando você ouve o que gravou, e vê o resultado de todo o trabalho que foi realizado, é uma sensação incrível. A vontade de fazer melhor e chegar a perfeição só aumenta.

SD-Sobre o produtor Matheus Girardi como é o trabalho dele? O que achou do estúdio?

Matuza: Um grande profissional. Acredito que nas primeiras audições, já conseguiu tirar o nosso melhor, nossa essência.E isso é talento. O Estúdio é, muito bom, tem uma sonoridade e acústica muito boa, claro que serão necessários alguns ajustes, mas nada fora do comum. É a nova casa de ensaio da Capa Preta Rock.

SD-O que você já pode adiantar pra gente?

Matuza: Posso adiantar que esse novo trabalho vai ser um pouco diferente. Um som mais maduro, com canções não tão pesadas, mas ao mesmo tempo com uma guitarra aguda e letras marcantes. Vem coisa boa por aí!

SD-O que já pode ser revelado sobre o trabalho?

Matuza: Posso dizer que esse trabalho já vem sendo trabalhado a alguns meses e tudo está feito com muito carinho e dedicação. Temos uma letra nova, que foi feita por mim a algumas semanas, que estamos ensaiando, uma balada, que fiz em um momento difícil de um relacionamento. Particularmente, achei que ficou muito bom e estamos terminando o arranjo dela. É uma letra forte, que fala muito sobre cotidiano de relacionamentos. Tem tudo pra ser um grande sucesso!

SD-Qual a expectativa?

Matuza: A expectativa com esse novo trabalho, é atingir um público maior do que os EP anteriores. Que pessoas de todas as idades e tribos saibam que é a Capa Preta Rock, e mais ainda: Gostem do nosso som! É por isso que trabalhamos com tanto carinho nesse novo projeto.

SD-Qual é a mensagem que você deixa para os nossos leitores?

Matuza: A mensagem que deixo para os leitores, é ouçam nosso som, divulguem nosso novo trabalho e tentem conhecer um pouco do nosso trabalho. Quero deixar uma mensagem também para as bandas que estão começando. Muitas pessoas vão te criticar, colocar em dúvida o seu trabalho e tudo mais. Aceite críticas construtivas, mas nunca deixe que essas críticas afetem seu trabalho. Trabalhe em silêncio. Fazendo as coisas com carinho e dedicação, você vai chegar lá um dia. Mas primeiro, confie no teu trabalho e siga seu instinto! Ninguém mais do que você e sua banda, sabem o que é melhor pra vocês! Um Abraço e Fiquem com Deus!!

Também conversamos com o Alysson sobre o projeto e em que pé andas.

SD-E aí Gazzana Beleza como vão as Coisas?

Alyssom: Estou bem cara,tudo tranquilo.

SD-Como está o novo Herdeiro recém nascido?

Alyssom: O meu piazinho esta ótimo,grandão bem gordo. Já curte um Creedence,quando ele chora eu ponho um Proud Mary ou Green River e na hora ele se acalma.

SD-Nos conte mais sobre o projeto gráfico e contexto artístico e visual do novo trabalho da Capa Preta Rock ? “Se puder falar é claro”

Alyssom: Sobre o novo EP digo que ainda é cedo pra falar dele.Mas já estamos trabalhando nas músicas,gravando algumas demos e adiantando a arte de capa e provavelmente vamos gravar um clipe para acompanhar o EP. A banda amadureceu um monte de janeiro pra cá com a entrada do Matuza na voz, não somos mais aquela banda com um vocal metido a estrela,nós amadurecemos e o som também.

A distribuição fica a encargo do selo Sub_Discos Label & Distro que atualmente é quem cuida dos registros fonográficos da banda. A banda vai emplacar uma nova estratégia de distribuição digital e física dessa vez.

Quem fala mais sobre isso é o baixista da banda Anderson Severo que prefere ser chamado de Tchaina, ele também é fundador e coordena o Sub_Discos Label & Distro:

“Para esse projeto vamos abordar uma nova estratégia de distribuição que será dividida por camadas, a distribuição física será dividida por setores, Rádios Convencionais e Rádios Web, Receberam uma mídia física Exclusiva e Digital com a músicas de Trabalho gravadas por faixas, material exclusivo, Bares e Casas de Shows Vão receber uma mídia física com quase 2 horas de gravações juntamente com um material gráfico, um fanzine por assim se dizer.

Para o Público em geral teremos vamos ter mais de uma compilação do CD a a disposição, a primeira com as 4 músicas e em seguida vamos lançar uma 2ª edição com um material gráfico e Textual com todas as músicas gravadas na Ksound”.

Conversamos com o Daniel, maestro da Banda que nos respondeu algumas perguntas rápidas

SD-Eai Daniel Beleza? como andam as coisas?

Daniel Dosso: Ola tudo tranquilo, estou animado com esta nova fase da Capa Preta, com a gravação dos singles e com todo essa evolução que está ocorrendo com a gente.

SD-Nos conte como foi a escolha do Matheus Girardi e o Studio K Sound para a gravação do novo EP?

Daniel Disso: O Matheus foi escolhido pelo seu modo de trabalho, sempre colaborativo sem atrapalhar na maneira como a banda gosta de fazer e criar seus sons e por ser uma pessoa extremamente camarada. A KSound oferece aquilo que a Capa Preta busca nos seus colaboradores, o apoio técnico, pessoal e de equipamento que a banda necessita.

SD-Se puder e quiser nos conte sobre o ambiente no studio e o clima das gravações?

Daniel Dosso: O clima no estúdio anda de forma bem tranquila, na Capa Preta todo mundo chega com ideias novas, essas são postas a prova, o que as vezes fica bom outras vezes não, mas de qualquer forma sempre traz mais qualidade as músicas.

SD-Sobre como está a sua expectativa sobre o resultado final desse processo?

Daniel Dosso: Estou bem ansioso, posso afirmar para o público da Capa Preta que vem um trabalho novo, com muita qualidade, música boa naquele estilo que todo mundo já conhece mas com uma evolução nas melodias, na individualidade dos integrantes, sem deixar de fora o apoio da K Sound studio que está proporcionado um trabalho de qualidade. Aguardem vem novidades por aí.

Sobre a K’ Sound:

“Eu Conheço o trabalho da K’ Sound desde 2014, quando ainda morava em Farroupilha, admiro trabalhos de bandas como, Tormento Alcoólatra, Pior Que Antes, ouvi também material recentemente gravado pela Geração Final, conheço o Matheus a muitos anos, antes mesmo da Over Kiss que se não me engano foi a primeira banda autoral do Matheus, então ficou fácil tomar a decisão entre tantas opções boas na região”.

Nos diz Tchaina sobre a escolha da KSound e abaixo confira também um trecho da nossa conversa com o Produtor Matheus Girardi

Tenho o estúdio à cerca de 5 anos, abrindo para bandas e músicos gravarem e ensaiarem…

Também sou músico, toco bateria atualmente na banda “Veleiro Velho” e na banda “Back 2 Groove”. Também toco violão no grupo acústico Dona Moça.

Pelo estúdio já passaram várias bandas da região, como Aknator, 182 Show, Peter 27, WAR, Indieaholic, Mandy Rock, Vitor Henrique & Gabriel, entre várias outras.
Em relação às gravações da banda Capa Preta a expectativa está grande, pois pelo que pude perceber, a banda tem músicas autorais muito boas!

Abaixo, acesse os links para conferir momentos de gravações.

Capa Preta Rock A Sua Maneira Cover : https://youtu.be/oNIWA4P-l5s
Capa Preta 3000 Milhas Para O Inferno : https://youtu.be/cL91hCgk7-c
Capa Preta Nada Que Não Possa Piorar: https://youtu.be/oKkPVSAVDqA

Contatos:
Site: http://www.ksound.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/KSoundStudioOficial/
Email: [email protected]

por Tchaina por Sub_Discos

Fonte: Sub_Discos

Sobre Rock Gaúcho 6580 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!