Exclusão Social, a banda “simplesmente punk” de Caxias do Sul,lança seu EP

Capa do EP "Simplesmente Punk", da Exclusão Social / Tchaina

O álbum foi gravado no estúdio Retrola, em Caxias do Sul /RS, e conta com a produção do Vini Lazzari. A banda Exclusão Social, que está em atividade há 20 anos. Antes de mais nada, vamos situar: A Exclusão é uma banda remanescente do movimento punk que estava presente nos meados dos anos 90 e neste período todos os seus integrantes estiveram totalmente comprometidos com o movimento punk, até os dias de hoje, conseguindo se manter na ativa até hoje. Assim, não é difícil concluir que uma banda que se chama Exclusão Social, não esteja fazendo um som tranquilo e sem emoção, dada as origens remotas do punk e suas influências a se intitulam e denominam o seu som como “Simplesmente Punk”.

Gordo Punk (vocais), Dadau (guitarra), Tchaina (baixo), e Dé (bateria e Backing Vocals) conseguiram imprimir identidade própria a cada uma das sete faixas de “Exclusão Social- Simplesmente Punk”, o que faz da sua audição uma experiência única. Mas já é possível desfrutar as músicas do álbum, que estão disponíveis na fan page da Banda: https://www.facebook.com/exclusaosocial/videos/ nas plataformas digitais, em canais como Deezer, Spotify, Apple Music e Google Play, entre outros estará disponível entre março e abril.

Com a mesma formação a mais ou menos 10 anos, desde Dezembro 2016 contam com tchaina no baixo. A banda consolida-se com um som punk e de protesto contemporâneo e polirrítmico, conduzido na base da energia, da vibração e da originalidade.

Detalhes do álbum:

Desenvolvido ao longo dos últimos anos, “Simplesmente Punk” é uma obra completamente independente, e distribuição da Sub_Discos. André (bateria), Tchaina (contra baixo), Gordo Punk (voz) e Dadau (guitarra) inspiraram-se no estilo “faça você mesmo”, gravaram no estúdio Retrola Discos, produziram, suas próprias canções e agora lançam.

Essa determinação relaciona-se com a abrangência do termo “Simplesmente Punk”, um conceito que implica e não depender de financiamento público, patrocínios do patronato e nem em estar sendo parte do mercado convencional da música .

O discurso da EXCLUSÃO SOCIAL em Simplesmente Punk, no entanto, está longe de ser panfletário e pretensioso, os temas abordados vão desde a guerra, violência policial, Capitalismo, Desigualdade e Corrupção o descaso do Governo com o povo e toda a raiva punk de ser.

Track listing:
01 – Progresso
02 – Bombas Bombas kaos
03 – Papai Noel
04 –Morto Vivo
05 – Policia
06 – Falam tanto de Amor
07 – Crianças

A CAPA

As provocações, aliás, já partem da capa icônica do CD, com arte assinada por Anderson Severo, a arte foi escolhida entre as diversas artes bacanas que foram enviadas para a banda, pelo público, conforme uma solicitação que a banda abriu na sua Fan page Link. 

Artes para Capa

Outra arte escolhida foi, a criação de Luis C. Tomasini, Vocal e Guita da Infected Sphere, para divulgação do single morto vivo.

A Exclusão Social

Com músicas que transitam entre a  explosão, revolta e têm como propósito a mensagem contida em suas letras, a Exclusão Social, explora em suas composições temáticas sociais, políticas, existenciais e dilemas contemporâneos. A Exclusão Social é: André (bateria), Tchaina (contra baixo), Gordo Punk (voz) e Dadau (guitarra).

por Anderson Severo (Tchaina)

Sobre Rock Gaúcho 6529 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!