Festival #Deslocamentos4D 2018 acontece no final de abril

#Deslocamentos4D / Divulgação

A segunda edição do #Deslocamentos4D será realizada em Porto Alegre no próximo fim de semana, dias 28 e 29 de abril. Financiado pelo Pró-Cultura RS e contemplado pelo edital do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados de 2017, com apoio cultural do Oi Futuro, o festival traz uma série de atividades simultâneas e diversificadas ações artísticas, culturais e colaborativas. O objetivo é promover visibilidade às iniciativas e à cultura da região conhecida como 4º Distrito, que vem se transformando em um território de lazer, inovação e empreendedorismo na Capital. A programação, com entrada franca, inclui uma série de atividades simultâneas e diversificadas ações artísticas, culturais e colaborativas.

Realizado pelas produtoras Miriam Amaral e Carla Joner, da Gabinete Produções Culturais e Joner Produções, o #Deslocamentos4D acontece em vários locais do 4º Distrito: as ruas Hoffmann e São Carlos, o Vila Flores, o Mundaréu e o Espaço 373 vão sediar atividades como debates, oficinas, feira de moda, design e inovação, espetáculos musicais, dança, performance, gastronomia e cerveja artesanal. Destaque para o debate Quem matou a cultura?, a Maratona de Piano, o show solo de Hique Gomez, o Sarau Deslocamentos e o encerramento com a cantora maranhense Rita Benneditto.

A programação

O primeiro dia do evento, sábado, 28 de abril, será marcado por atividades de conteúdo reflexivo e debates sobre temáticas que dizem respeito ao 4º Distrito, à cidade de Porto Alegre e ao Brasil. O debate Quem Matou a Cultura? irá examinar o momento atual da cultura mundial e o desmantelamento dos instrumentos culturais da cidade, com convidados de diversas áreas do conhecimento, como o ativista cultural Francisco Marshall, curador do StudioClio. Concebido por Carla Joner e Miriam Amaral, e com mediação de Marta Dueñas e Caco Idiart, o debate acontece no Vila Flores, das 14h às 18h, aberto a todos os interessados no tema.

Das 14h às 16h, a gestora cultural do Vila Flores, Aline Bueno, convida para um bate-papo informal sobre iniciativas e soluções para a região. A conversa Socializando o 4º Distrito vai apresentar também o início de um mapeamento dos empreendimentos da área. A ideia é, no futuro, criar um aplicativo com todos os estabelecimentos de produtos e serviços criativos do 4º Distrito.

O sábado se encerra com show da performática Bandinha Di Da Dó, às 19h. Os músicos Mauro Bruzza (acordeom e vocal), Thiago Ritter (baixo), Gabriel Grillo (guitarra) e Paulo Zé Barcellos (bateria) são os palhaços Cotoco, Teimoso Teimosia, Invisível e Zé Docinho, que apresentam um repertório de composições próprias inspiradas na música cigana, na world music e no rock’n’roll.

No Espaço 373, das 14h às 18h, acontece o Bazar Arte e Dança, que une artes, música e dança e gastronomia. Grupo experimental de danças e performances dos bailarinos Cris Nunes e Matheus Bittencourt, estão na programação do local.

No domingo, dia 29, as atividades começam às 11h, com a abertura das feiras Tô na Rua e Fervinho Mundaréu, em edições especiais para o festival. Na esquina das ruas Hoffmann e São Carlos se reúnem marcas autorais, bazar, brechós, foodtrucks, intervenções e música, como o encontro de sambistas da velha guarda do grupo Samba do Mestre, capitaneado pelo mestre Nilton Pereira. A Cia1Péde2 apresenta o Homem Banda – um artista inventor com sua parafernália cheia de sonoridades. O Coletivo Tenondé (com o artista urbano Xadalu) fará performance que inclui fogueira, chimarrão, contação de histórias da mitologia guarani e música com instrumentos da cultura indígena.

A partir das 14h na Feira, têm início três oficinas ministradas por empreendedores do espaço colaborativo e compartilhado Galpão Makers: a Oficina demonstrativa de Kokedama, com Luciana Costa de Oliveira, da Flor de Oliveira; a Oficina demonstrativa de Recorte com serra tico-tico, com Talita Demartini, da Ksulo; e a Oficina de revestimento de cabos para luminárias e extensões, com Alexandre Lopes Fagundes, da Luz Feito a Mão.

Na esquina das ruas São Carlos e Gaspar Martins acontece a Maratona de Piano, das 15h às 17h. Com curadoria do músico Hique Gomez – que selecionou os jovens pianistas Cris Todeschini, Giulia Nakata, Sofia Amon e Lucas Brunet para as apresentações – a Maratona utiliza o piano do projeto Piano Livre, instalado em frente ao Porto Alegre Hostel Boutique, propondo a interação com o público.

O Vila Flores é um dos epicentros do evento e sedia diversas atividades e atrações culturais. Das 14h às 21h, o Matehackers vai promover uma mostra de projetos de seus integrantes e outras pessoas que queiram mostrar suas invenções. Pedais de guitarra com arduíno, robôs, bots, leds, emuladores de videogames e outra traquinas digitais produzidas pelos hackers vão ser apresentadas pelos seus autores. No mesmo horário, o artista visual Marcelo Monteiro apresenta Distrito Floresta – Registros Imaginativos em Vídeo. Capturando cenas do cotidiano de um distrito que antigamente foi caminho para uma floresta, Marcelo sobrepõe esses registros com imagens de matas nativas, transformando a paisagem e a descolando de seu tempo. O Vila Flores também sedia, às 14h, a oficina de gamificação: um workshop ministrado por Caco Idiart, que instrumentaliza empresas e pessoas para engajar equipes, traçar soluções e criar mecânicas certeiras.

Às 15h, a banda Cartas na Rua se apresenta no palco do Vila Flores, com um repertório rock, folk, bluegrass e country, no formato banjo, violão, mandolin e baixo. Às 16h, o Coletivo Tônuma desenvolve uma performance com imagem e movimento. Na programação infantil, às 16h30 e às 18h30, a Cia Caixa do Elefante Teatro de Bonecos mostra sua nova produção: a Banda Salsicha Recheada, composta por cinco cantores bailarinos que executam famosos hits da década de 70.

Às 17h, o Sarau #Deslocamentos4D traz música e literatura com a atriz Mirna Spritzer, a pianista Dunia Elias, o ritmista Loua Pacom Oulai e o percussionista Fernando do Ó. Às 18h, a performer Paula Finn faz uma provocação sobre o ser animal. Animalia é um processo de pesquisa que parte da pergunta: somos todos animais?

A partir das 19h, quem sobre ao palco do Vila Flores é o multi-instrumentista Hique Gomez, em recital solo (teclado e craviola). Autor-compositor-intérprete, o músico vai mostrar um repertório diverso, com composições próprias e canções de Zé Rodrix, Raul Seixas e outros.

Para encerrar o festival, às 20h, no Palco Vila Flores, a cantora maranhense Rita Benneditto apresenta o espetáculo Benneditto Seja!, em que mistura as canções mais populares de seus discos, incluindo o aclamado Tecnomacumba. Convidada especial desta segunda edição do festival, Rita Benneditto traz para o #deslocamentos um show em formato semiacústico: acompanhada pelo multi-instrumentista, arranjador e compositor Fred Ferreira (violão, guitarra e vocais) e pelo mestre dos ritmos, Ronaldo Silva (bateria, percussão e vocais), as canções se destacam em novas versões, com levadas criativas.

O publico também poderá participar virtualmente: o festival será transmitido ao vivo pela internet e nas redes oficiais do evento. A programação terá cobertura do estúdio móvel Kombi na Rede, com apresentação do jornalista Gabriel Galli, socialmedia, militante LGBT e Presidente da ong Freeda. Com o tema #ComOutroOlhar, a Kombi na Rede funcionará como fórum de discussão e espaço de reflexão para discutir temas como inovação, diversidade e criatividade. Gabriel vai apresentar o programa Papo Deslocado – conversa informal com convidados e público sobre comportamento, cultura, trabalho sexual, diversidade, movimentos sociais e sua repercussão nas ruas e nas redes.

O Festival #Deslocamentos4D é realiza​do por Gabinete Produções Culturais e Joner Produções, com patrocínio da Oi, apoio cultural da Oi Futuro e financiamento da Lei de Incentivo a Cultura / Pró-cultura RS e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer / Governo do Estado do RS.

Os profissionais envolvidos no #deslocamentos4D fazem parte da comunidade que reside e/ou trabalha no 4º Distrito. São empreendedores individuais e coletivos, empresários, educadores, artistas, ativistas sociais e articuladores culturais, profissionais de tecnologia, moda e design, associações organizadas e, sobretudo, cidadãos. A Feira Tô Na Rua, ​o ​multinegócio Mundaréu (antiquário e produtora), o Galpão Makers (que reúne diversos empreendimentos e marcas autorais), o Porto Alegre Hostel Boutique e o Espaço 373 ​ são alguns dos ​parceiros do #Deslocamentos4D 2018.

Serviço
Festival #Deslocamentos4D
Música | Dança | Oficinas | Moda, Design e Inovação | Gastronomia | Cerveja Artesanal

Programação completa no site www.deslocamentos4d.com.br

Dia 28 de abril, sábado, das 14h às 20h | Dia 29 de abril, domingo, das 11h às 22h
Entrada Franca
Diversos locais na região do 4º Distrito de Porto Alegre:
– Ruas Hoffmann e São Carlos
– Espaço 373 – Rua Comendador Coruja, 373
– Porto Alegre Hostel Boutique – Rua São Carlos, 545
– Mundaréu – Rua Hoffmann, 500
– Vila Flores – Rua São Carlos, 759

Site: deslocamentos4d.com.br
Facebook: facebook.com/deslocamentos4D
Instagram: @deslocamentos4d

Histórico

A primeira edição do festival #Deslocamentos4D aconteceu em dezembro de 2016. Cerca de 4.500 pessoas participaram de dois dias intensos de programações simultâneas e descentralizadas, nos bairros que compõem o 4º Distrito de Porto Alegre. A programação foi composta de 22 atividades culturais, sociais e de empreendedorismo, como oficinas, espetáculos musicais e teatrais, mostras de cinema, exposições, feiras, saraus, debates, turismo criativo e gastronomia, que promoveram experiências inovadoras e chamaram a atenção para um território diverso e em transformação na cidade de Porto Alegre.

Após a experiência positiva da primeira edição, o projeto foi selecionado no edital do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados de 2017, que premiou 34 projetos de todo o país. Com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura / Pró-cultura RS e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer / Governo do Estado do RS, patrocínio da Oi e apoio do Oi Futuro, a sua segunda edição será realizada nos dias 28 e 29 de abril de 2018.

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, promove ações de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte para melhorar a vida das pessoas e transformar a sociedade. O instituto impulsiona iniciativas colaborativas e inovadoras, fomenta experimentações e estimula conexões que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo.

Na Educação, o Oi Futuro investe em novas formas de aprender e ensinar com o NAVE (Núcleo Avançado em Educação), que forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. Desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, o programa oferece ensino médio integrado e já formou mais de 2 mil jovens em 12 anos de atuação. Os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais no mercado de inovação e tecnologia. Nas escolas do programa, educadores e estudantes elaboram e testam novas metodologias e práticas pedagógicas que possam ser compartilhadas com outras escolas da rede pública e outros contextos educacionais.

Na Cultura, o instituto é um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a cocriação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, e realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. O Instituto também tem o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade no Brasil, e o LabSonica, laboratório de experimentação sonora e musical. Também no Rio, o Oi Futuro mantém a Oi Kabum!, escola de arte e tecnologia onde está abrigado o Lab.IU, Laboratório de Intervenção Urbana.

Na Inovação Social, o Oi Futuro lançou o Labora, laboratório de soluções singulares e de impacto para as cidades e a gestão cultural. O Labora é um ambiente de conexão, aprendizagem e criação para organizações e empreendedores comprometidos com a transformação de impacto, e oferece programas de incubação e aceleração para projetos e negócios de impacto social. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

Numa confluência entre as áreas de Cultura e Inovação Social, nasceu o Oi Futuro Lab, espaço de criação, experimentação e colaboração idealizado para impulsionar criadores de diversas áreas e startups de impacto social de todo o Brasil, selecionados por editais públicos. Com mais de 500m², o laboratório abriga o LabSonica e o Labora e oferece estrutura física e suporte técnico necessários para que seus participantes viabilizem seus projetos em um ambiente que estimula a produção colaborativa, a formação de redes e a inovação.

Sobre Rock Gaúcho 2181 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.