Indigentes Índigos

Nossa história começa em 1994, quando Nikholau ‘fucksomeone’, uma criança brilhante de aura azulada translúcida e penetrante de apenas 14 anos de idade caiu em um caldeirão de caipirinha sem limão. Ao ser retirado do recipiente, percebia-se que, agora, ele possuía poderes groovísticos que exalavam notações musicais azualadas e psicodélicas que se tornariam relevantes no estilo musical de seu futuro conjunto. Mais tarde em sua vida, Nikholau formou uma banda com seus colegas índigos que faziam parte de seu cotidiano boêmico: Paulo ‘Truck driver’, Max ‘burnin’stache’ e Bob ‘Fucking’ Saget. Após a morte deste último membro devido a complicações de malária contraída no norte do Brasil após um passeio de pedalinho, a banda passou a ser um trio, que passou por diversas dificuldades financeiras durante a transição do século. O período em que viveram intensamente nas ruas de Porto Alegre, alimentando-se de gatos, pássaros e sobrevivendo como aviões do tráfico serviu de inspiração para o nome de banda que permanece até hoje desde março de 2010 (quando Nikholau, com sucesso, assaltou um caminhão forte da companhia BRINKS contendo 47 mil reais em barras de outro que valem mais do que dinheiro). Atualmente devido às oscilaões bruscas do dólar e a negligência de Riquinho Rico, a banda passa o tempo compondo, fazendo guacamole, tocando, comendo guacamole, gravando, discutindo pêlos corporais e fazendo mais guacamole (não necessariamente nessa ordem).MembrosPaulo Taborda – voz, guitarra, teclado e bateriaMax Ramos – voz, guitarraNikholas Stephanou – voz, baixo

Contato:
E-Mail: [email protected]
Telefone (51) 9272-6036
Site: http://indindigos.tnb.art.br/
Facebook: http://pt-br.facebook.com/pages/Indigentes-Indigos/108535379238343?sk=info
YouTube: http://www.youtube.com/user/Indigentesindigos
MySpace: http://www.myspace.com/indigentesindigos