Lenny Kravitz – Resenha LOLLAPALOOZA

LENNY KRAVITZ, um dos maiores nomes que estava cotado para o LOLLAPALOOZA, entregou o que se esperava: Um show pra cima e cheio de energia, como sempre. Mesmo com muita chuva e um LENNY mais contido, com passos mais calmos, ganhou o público de cara quando soltou FLY AWAY, hino mundial, não só dos fãs do norte-americano. Logo no início, na parte mais alto do palco, era possível saber de cara, que KRAVITZ iria mandar muito bem, afinal, o que mais se espera do cantor estava lá, quase que impecável: A voz…

Revisitando muitos clássicos, deixando o show mais calçado na nostalgia, KRAVITZ mandou bem em muitas jam’s, deixando as músicas maiores ainda, como em AMERICAN WOMAN. Dando muito espaço para a banda, afiada banda, e fazendo muito uso de seus músicos de sopro, de maneira harmoniosa e quase que perfeita. Sempre muito comunicativo, KRAVITZ não deixou de falar com o público sempre que pode, até em português, mostrando sua conexão intensa com seus súditos, fiéis, que não arredaram o pé da grade, apesar da chuva.

Pecado por parte do LOLLAPALOOZA, deixar o palco e até mesmo os músicos, “apagados”, foram diversos shows “escuros”, que se não fossem o telão, estar grudado na grade, não seria de grande diferença. Um vacilo que ficou claro e que muita gente reclamou. O festival deve melhorar isso, ou pensar nisso, porque a níveis de outros eventos, foi uma coisa que eu ainda não tinha visto: Shows escuros, músicos indo para os cantos do palco, sem serem iluminados, holofotes quase que inexistentes. Tanto que, era visível que os músicos se mantinham mais ao centro, em diversos shows, pois não adiantava muito tentar chegar mais perto das extremidades do palco, se igual o público não os veria. Talvez por isso LENNY tenha descido e ido até as pessoas, quase deixando todo mundo maluco.

LENNY KRAVITZ ainda falou de seu amigo e da música que gravaram juntos, ao citar SLASH (GUNS N’ ROSES) e anunciar ALWAYS ON THE RUN. O show foi cheio de swing e uma cara de arremetermos aos anos setenta, a banda toda, é um show a parte. AGAIN foi outro clássico que fez muitas fãs irem às lágrimas, coisa que não foi mesmo difícil de ver durante a performance de LENNY. Cantando bastante e fazendo pouco uso da guitarra (mesmo que tenha trocado de instrumento umas seis ou sete vezes), LENNY deixou a banda brilhar e fez tudo o que pode para ser o show que os fãs esperavam.

Perto do fim e já no bis, tivemos show de fogos e o deleite de muitos com ARE YOU GONNA GO MY WAY, alguém aí se lembra de GRAN TURISMO 3? LENNY saiu de cena ovacionado, um show curto, para tanta história e tanta música de qualidade. Alguém que conseguiu flertar como poucos com tantos ritmos diferentes e um engajamento, que não vimos em qualquer artista, de deixar a música correr em todas as áreas, seguimentos e gostos. LENNY KRAVITZ é um dos artistas contemporâneos mais completos, sem dúvida. Quem sabe no próximo show, tenhamos mais e mais hits que ficaram de fora, mais luz no palco e mais ainda de uma voz que parece não se cansar. Com muita chuva, tivemos um show molhado, literalmente… Volte sempre, KRAVITZ!

por Rudson Xaulin

Sobre Rock Gaúcho 2200 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.