Pata de Elefante se apresenta na noite instrumental do Ocidente Acústico

Pata de Elefante / Marcelo Lubisco Leães

Gabriel Guedes e Daniel Mossmann, integrantes originais da Pata de Elefante, acompanhados de Pedro Petracco na bateria, se apresentam na noite instrumental do Ocidente Acústico (João Telles esq. Osvaldo Aranha), chamada “Boca Fechada Não Entra Mosca”, que acontece no dia 17 de outubro, quinta-feira, às 23hs. Os ingressos antecipados estão à venda na Toca do Disco e em www.sympla.com.br.

No final de 2017, o baterista Gustavo Telles deixou a banda para se dedicar a sua carreira solo. Então a Pata de Elefante se tornou uma dupla, com Gabriel Guedes e Daniel Mossmann fazendo as guitarras e baixos como de costume e contando sempre com um baterista convidado pra assumir as baquetas. Em janeiro de 2018, a dupla entrou em estúdio pra dar início aos trabalhos de um novo disco, com a bateria sendo assumida por Reynaldo Migliavacca para a gravação. Atualmente residindo em Londres, Reynaldo faz parte da banda Lowly Hounds e já tocou na Charly Coombes & The New Breed.

Em 16 anos (2002-2018), a Pata de Elefante lançou quatro discos, tocou em diversos lugares do Brasil, ganhou prêmios como VMB 2009 (MTV) – Melhor Banda Instrumental – e Açorianos em 2005 e 2011 – Revelação e Melhor Disco Instrumental, respectivamente -, participou de projetos e editais, teve músicas incluídas em trilhas sonoras de filmes e conquistou público e crítica com a força de sua música.

Apostando em melodias, em riffs impactantes e em grooves envolventes, a Pata de Elefante levou seu rock instrumental para um público acostumado a ouvir música com vocal. E se tornou referência entre as bandas instrumentais brasileiras que surgiram na primeira década do século 21.

Trajetória

A Pata de Elefante surgiu em janeiro de 2002, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul e se diferenciou por fazer rock instrumental com ênfase nas melodias. O primeiro disco, “Pata de Elefante”, foi lançado em dezembro de 2004 pela Monstro Discos. A partir deste momento, o grupo passou a se apresentar nos principais festivais de rock no Brasil, como Goiânia Noise (2004, 2006 e 2007) e Abril Pro Rock (2008). Por este Cd, ganhou o Prêmio Açorianos de Música 2005 de Porto Alegre. Na revista Bravo, em resenha veiculada em julho de 2005, o trabalho da Pata de Elefante recebeu um elogio de peso: “a música instrumental brasileira tem salvação”. Em agosto, a banda se apresentou no Programa do Jô, da Rede Globo.

Em 2007, foi selecionada no edital Rumos Itaú Cultural (2007-2009), que funciona como uma espécie de mapeamento da música brasileira. No fim do ano, lançou o segundo Cd, “Um olho no fósforo, outro na fagulha”. A música “Hey!” foi incluída na coletânea Le Noveau Rock Brésilien” (O Novo Rock do Brasil), encartada na edição de fevereiro de 2008 da revista franco-brasileira Brazuca, com distribuição gratuita nas ruas de Paris. A seleção musical e a produção foram da revista e selo digital Senhor F. Em dezembro de 2008, a Pata de Elefante ganhou o Prêmio Dynamite, na categoria Instrumental, realizado pela revista Dynamite.

Em janeiro de 2009, “Um olho no fósforo, outro na fagulha” ficou entre os 25 melhores discos de 2008, segundo a lista da revista Rolling Stone. Em julho de 2009, o trio fez shows no Festival de Garanhuns, em Garanhuns (Pernambuco), no Baicool Jazz Festival, em Salinas (PA) e no encerramento da primeira seletiva do Festival Se Rasgum, em Belém (PA). Em agosto de 2009, ocorreu uma turnê no Rio Grande do Sul durante o projeto Sesc Música, com shows em São Leopoldo, Lajeado, Bento Gonçalves, Farroupilha e Santa Cruz do Sul. Em outubro de 2009, a Pata de Elefante ganhou o VMB (MTV), na categoria Melhor Banda Instrumental. E em novembro, ocorreu o lançamento do elogiado clipe de “Um olho no fósforo, outro na fagulha”.

Ainda nesse período, foram realizadas apresentações nas cidades de Iguape, Tupã, Brotas, Guararema, Caraguatatuba e Monte Alto, no interior do estado de São Paulo, durante o Circuito Cultural Paulista. Além disso, a banda marcou presença na caixa com 16 Cds lançada pelo Rumos Música (edital 2007-2009), do Itaú Cultural, incluindo artistas e grupos do Uruguai, Argentina, Paraguai, Chile e Brasil.

Serviço:
O QUE: “Ocidente Acústico” – edição 986 – Pata de Elefante: Boca Fechada Não Entra Mosca (noite da música instrumental)
QUANDO: 17 de outubro (quinta) de 2019 – 23 horas – a casa abre às 21h30min.
ONDE: Ocidente – João Telles esq. Osvaldo Aranha
INFORMAÇÕES: (51) 3012 2675 – www.barocidente.com.br

Ingressos:
Lote promocional: R$30,00*
Meia: R$20,00
Inteira: R$ 40,00

* Promocional: valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa. Valido para venda antecipada. Os alimentos deverão ser entregues no Ocidente, no momento da entrada ao evento.
** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.

Pontos de venda:
– Toca do Disco (Garibaldi, 1043 – fone:3311-4551)
– Online: www.sympla.com.br

Sobre Rock Gaúcho 2382 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.