Pata de Elefante volta aos palcos do sul em show dia 25, no Verde Club

Com milhares de downloads do disco Na Cidade a Pata de Elefante segue em turnê, com grande repercussão. Até agora o novo show já foi apresentado nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás,  Bahia, Sergipe e Pará, sempre com sucesso e excelentes comentários de público e crítica. Só pra dar um exemplo, em Chapecó, em show realizado em setembro no Sesc, a banda precisou fazer duas sessões, pois as senhas para o show gratuito esgotaram-se em apenas dez minutos. Em Goiânia, o trio fez um dos melhores shows do  Festival Vaca Amarela, sob os olhares e ouvidos atentos de cerca de duas mil pessoas, e no dia 20 de setembro, a banda fez um show emocionante para milhares de pessoas no Parque da Redenção. Recentemente, em show no Bar Ocidente, levou os fãs ao delírio, com seu repertório vibrante e seus excelentes músicos. Também no Morrostock, ao lado de outras dezenas de conceituados grupos, foi super aplaudida. Agora está de volta à cidade para um super show no Verde Club, dia 25 de novembro. O show terá a participação da bacanérrima Retrofoguetes, da Bahia.  

A Pata de Elefante é uma das bandas mais atuantes do RS, tanto que as viagens já são uma constante no dia a dia da banda. Nos dias 14 e 15 de outubro, por exemplo, apresentou três shows em 24 horas e em três estados diferentes: no Ocidente Bar, em Porto Alegre (RS), no Centro Cultural São Paulo (SP) e no Festival Demosul, em Londrina (PR). No dia 22 o trio se apresentou em Cruz Alta (RS) no Mr. Jack Pub e dia 23 no Festival Morrostock, em Sapiranga (RS). No dia 03 de novembro, a banda esteve em Botucatu (SP), onde se apresentou e recebeu o Prêmio Instrumental no Festival Botucanto. No dia  09 de novembro partiu novamente para a capital paulista para apresentar o projeto piloto do programa Pata de Elefante Especial, transmitido ao vivo na internet pela TV Trama. Entre os próximos shows estão o do dia 21 de novembro, onde se apresenta juntamente com os Locomotores na festa de aniversário da Ipanema FM, no Anfiteatro Pôr- do- Sol, e o do dia 25 de novembro no Verde Club, ambos em Porto Alegre.  No dia 26 se apresenta no Moinho da Estação Blues Festival, em Caxias do Sul (RS), dia 27 no aniversário  de Vacaria (RS) e dia 28 na pousada Refúgio do Lago, em Lages (SC).

O álbum Na Cidade, que está sendo mostrado em turnê, foi produzido por Júlio Porto, mixado por Beto Machado e gravado nos Estúdios Trama. Além disso, a masterização foi realizada nos Estúdios de Abbey Road, por Steve Rooke. O disco foi lançado oficialmente na capital gaúcha em show histórico no Opinião, com a presença de ilustres convidados.

A Pata de Elefante está colhendo muitos frutos desde que resolveu ampliar os horizontes e mostrar seu trabalho nos quatro cantos do país. Conquistou o prêmio de Melhor Banda Instrumental no VMB 2009 (MTV), uma espécie de certificação, mostrando que a banda está no caminho certo. Profissional ao extremo, dedicada e com uma qualidade inquestionável, a Pata está no epicentro da revitalização da música instrumental no Brasil, e alça vôo para além do segmentado mercado instrumental nacional. Ao valorizar as melodias, utilizando o formato da música pop, o grupo atinge em cheio a um público acostumado a ouvir música com vocal. Assim, segue circulando cada vez mais no mesmo circuito das bandas de rock com vocal, ajudando a popularizar a música instrumental. E foi nesse espírito empreendedor que gravou o novo disco, Na Cidade (Trama) e disponibilizou na internet para ser adquirido gratuita e legalmente na página do Álbum Virtual Trama: http://albumvirtual.trama.uol.com.br/lancamentos. O formato não possui proteção DRM, o que permite ao público copiar e gravar em qualquer mídia quantas vezes quiser. Ao artista é assegurado valor por seu trabalho.

Se Um Olho no fósforo, outro na fagulha (2008) tem um pé no campo, com muito de folk-rock e country-rock, Na cidade é um disco urbano e dançante. A preocupação com o ritmo permeia cada uma das 13 faixas.  Se as pessoas presentes na gravação reagissem naturalmente, se embalando com a música, sabíamos que estávamos no caminho certo, comenta o guitarrista e baixista Daniel Mossman. A sonoridade heterogênea da Pata  pode ser percebida nas variações de dinâmica e de intenção em cada musica.  O embalo dançante é acentuado em Diga-me com quem andas e te direi se eu vou junto, Psicopata e Grande Noite;  há  o samba-rock Vazio na cerveja e  influência da música latina nas faixas Pesadelo no Bambus e À luz de velas. Sai da Frente é explosiva, enquanto que  Um pouco antes de dormir é uma balada. Já De volta pela manhã celebra a diversidade trazendo a assinatura do trio, que pela primeira vez compõe em parceria.

A Pata de Elefante surgiu em janeiro de 2002, formada por Gabriel Guedes, Daniel Mossmann e Gustavo Telles. O trio se diferencia por fazer rock instrumental com ênfase nas melodias. Gabriel Guedes e Daniel Mossmann se revezam entre guitarra e baixo, imprimindo a dupla sonoridade característica do grupo, sustentada pela bateria de Gustavo Telles. Os três são compositores, o que faz com que a Pata de Elefante soe heterogênea, mas com unidade. Em estúdio, a banda procura dar às músicas o que cada uma necessita, priorizando timbres, arranjos e execução. Ao vivo, o bicho pega em performances enérgicas e viscerais.

Sobre Retrofoguetes

O trio instrumental Retrofoguetes, da Bahia, formado por Morotó Slim (guitarra), Rex (bateria) e CH (baixo) começou fazendo um som bem ao estilo surf music, mas há muito ampliou suas referências e conceito musical. Atualmente é um dos mais conceituados grupos instrumentais brasileiros, ao lado da Pata de Elefante. A surf music ainda figura como a base de tudo o que fazem, até pela atitude da banda formada em 2002, mas, hoje, com cada vez mais identidade, eles têm mesclado outras referências aos temas que compõem. Além dos já tradicionais rockabilly, polca e música circense, abriram mais espaço no repertório para elementos de mambo, tango, música italiana e swing jazz. Some a isso ainda uma ambientação na literatura, cinema e HQs de ficção científica. O resultado é música pop bem-humorada e extremamente visual, como na trilha sonora de um filme imaginário.

Em 2004, a banda lançou seu primeiro disco, Ativar Retrofoguetes!, pelo selo goiano Monstro Discos, com produção de andré t. e Nancy Viégas, sendo bastante elogiado pela crítica nacional. Agora, a banda realiza turnê de divulgação do segundo CD, Chachachá, também produzido por andré t. e Nancy Viégas e lançado pelo selo próprio e independente Indústrias Karzov, durante o Abril Pro Rock 2009, em Recife. Ainda em 2009, realizaram show de lançamento em Salvador, em um domingo histórico, atraindo mais de 1400 pessoas para o Teatro Castro Alves, um dos mais importantes do país. O novo trabalho, muito bem recebido pela crítica especializada e pelo público, reflete exatamente essa ampliação de linguagem. No intervalo dos dois discos autorais, fizeram ainda o projeto especial “O Maravilhoso Natal dos Retrofoguetes”, lançados em CD e vinil pela Monstro Discos. No repertório, clássicos natalinos em versão surf/rockabilly como “Bate o Sino” e “Boas Festas”.

Desde sua criação, o Retrofoguetes (que se originou da dissolução dos Dead Billies) vem se apresentando em importantes festivais nas principais capitais do país e colecionando prêmios. Já marcou presença no Goiânia Noise e Bananada (GO), Campeonato Mineiro de Surf (MG), Abril Pro Rock (PE), Punka (SE), Aumenta que é rock! (PB), Festival do Sol (RN), Sanca Blues, Jazz e Rock Festival (SESC São Carlos), Sons de Uma Noite de Verão (SESC Pompéia, SP) e na Virada Cultural (SP). Em Salvador, a banda foi uma das atrações do prestigiado Festival de Música Instrumental, que acontece há mais de uma década no Teatro Castro Alves. Em 2009 e 2010, os Retrofoguetes comandaram um trio elétrico no circuito oficial do Carnaval de Salvador. Entre as premiações, também constantes em sua carreira, destaca-se a eleição como melhor show da categoria Aquáticos no Festival PIB – Produto Instrumental Bruto realizado em São Paulo 2009, garantindo a participação da banda neste ano, e ainda a prestigiada indicação na categoria de melhor banda instrumental no VMB, Prêmio Nacional realizado pelo canal MTV Brasil.  A Revista Rolling Stone incluiu o Chachachá nas lista dos 25 melhores discos nacionais de 2009. Em 2010, o portal Vírgula/UOL a banda entrou para a lista das “10 Melhores Bandas do Nordeste”.
 
Além dos projetos autorais, participou das coletâneas Surf Rock (Deck Music/2002), Reverb Brasil (Obra Discos/2003), Monstro Hits, Tributo ao Ultraje a Rigor (Monstro Discos/2003) e Brazilian surf A-Go-Go, The attack of the Tiki waves Vol.1 (Groovie Records/Portugal/2007).

Pata de Elefante
Show dia 25 de novembro, às 23h
Verde Club – Av. Goethe, 200
banda convidada – Retrofoguetes

Ingressos a R$ 15 com nome na lista e R$ 20 na hora

Turnê – proximas datas:
Dia 26 – Moinho da Estação Blues Festival, em Caxias do Sul
Dia 27 – Mercado Público Municipal, dentro da programação da 29ª Feira do Livro / Vacaria
Dia 28 – Pousada Refúgio do Lago, Lages – Santa Catarina

Sobre Rock Gaúcho 13400 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!