Rogério Ratner

ROGÉRIO RATNER LANÇAMENTO DO SEGUNDO CD CONTATO EMAIL: [email protected] Rogério Ratner está lançando o seu 2º CD. O disco conta com 18 músicas, todas de autoria de Rogério, transitando entre o rock, o pop, as baladas e o blues. O disco contou com a produção do produtor e guitarrista Ciro Moreau (Jazz Noir, Open Station, Osvaldos e a Aranha, Lúcia Severo, Dani Calixto, Guito Thomas, Rafael Brasil, etc.). – O disco foi lançado com show no Bar Zelig, no dia 06.07.2005, no qual Rogério, além de acompanhar-se ao violão, contou com a participação de sua banda, formada por Ciro Moreau (guitarra), Edson Jr. (baixo) e Rodrigo Lopes (Bateria). Também foi realizado show acústico na Livraria Cultura, no qual Rogério foi acompanhado pelo guitarrista Gambona. Rogério também participou do Encontro das artes promovido pelo Jornal Fala Brasil no Nacional do Shopping Rua da Praia. – Na divulgação do lançamento, até agora, Rogério concedeu entrevistas na Rádio FM Cultura (Programa Cultura Acústica), bem como nos Programas Radar e Estação Cultura da TVE, e a Bela e a Fera (TV UNISINOS-apresentação de Fabrício Carpinejar e Márcia Tiburi). O lançamento foi destacado em jornais da cidade, tais como Zero Hora, Correio do Povo, Jornal do Comércio, Diário Gaúcho, O Sul, Fala Brasil e Jornal da Noite, dentre outros. – O seu primeiro CD foi lançado no ano de 1997. Contou, em sua gravação, com um time de músicos de primeira linha em Porto Alegre: Ciro Moreau, Michel Dorfman, New, Ricardo Arenhaldt, Edson Jr., Jorginho do Trumpete, Serginho do Trombone, Cláudio Sander. – A destacar, na divulgação do primeiro disco, a rodagem do clipe da música “Claro Escuro” nos programas Território Nacional da MTV e TVZ do Multishow. O clipe foi dirigido pelo cineasta gaúcho Jaime Lerner, tendo sido filmado em 18mm, e teve a produção de Cícero Aragon. A finalização foi feita na RBS Vídeo. Contou com a participação das atrizes/modelos gaúchas Bárbara Koboldt (Revista Sexy) e Cléo de Paris (Tolerância, de Carlos Gerbase). – Também em relação ao primeiro CD, merece destaque a rodagem da música “Lucidez” no programa “Versão Brasileira”, da Rádio 89 FM de São Paulo (A Rádio Rock), entre outras estações da capital Paulista, tais como a Gazeta AM, a Imprensa FM, etc. Cumpre destacar também a participação de Rogério em programas televisivos tais como “Barraco” (MTV), “A Turma do Arrepio” (Rede Manchete SP, juntamente com as bandas Os Ostras e Homem do Brasil), Programa Rosana Hermann (Rede Mulher, SP), Jornal do Almoço (RBS TV), Estúdio 36, Palco, Tânia Carvalho (TVCOM), Folharada Ipanema na TV, Jornal Acontece (Bandeirantes), Radar, Estação Cultura (TVE), Programa Vera Armando (TV Pampa), Programa Palavra de Mulher (Marlei Soares) (TV Guaíba) dentre outros. – O primeiro CD de Rogério Ratner foi citado em matéria do jornalista Luís Antônio Mello (fundador da Fluminense FM RJ) sobre o Rock Nacional, publicada no Jornal o Estado de São Paulo (Estadão). O disco também foi mencionado nas revistas Guitar Player, Internacional Magazine, Shopping Music, Vizoo, Colóquio, dentre outras publicações do centro do país. No Estado, o lançamento do CD foi noticiado em diversos órgãos de imprensa, tais como Correio do Povo, Zero Hora, Porto e Vírgula (SMC), Jornal do Comércio, Revista Záffari, Jornal Multisom, Porto Blues, Folha do Ônibus, Folha da História, Usina do Porto, Fala Brasil, etc. – Músicas do primeiro CD rodaram (em alguns casos durante entrevistas, e, em outros, na programação normal) nas rádios Ipanema FM, Bandeirantes FM, Gaúcha FM, Cultura FM, 107.1 FM (programa Studio B), Farroupilha AM, Gaúcha AM, entre outras, além de rádios no interior do Estado (em Pelotas, Erechim, Santa Maria, Lajeado, Canela, etc). – Em face do lançamento do CD, foram realizados diversos shows, em formato elétrico ou acústico. A destacar os shows no Foyer do Theatro São Pedro, no Auditório Araújo Viana (Show coletivo “Os emergentes), na Feira do Livro, no DC Navegantes, no Mix Bazar (Usina do Gasômetro), na Cia. de Arte, etc. A banda que acompanhou Rogério nos shows de lançamento do CD foi composta por Ricardo Arenhaldt (Boogaloo/Geraldo Flach)/Roni Martinez (Bandaliera/Fernando Noronha), bateria; Ciro Moreau, guitarra; Edson Jr. (Jah Mai)/Mário Carvalho (Boogaloo/Osvaldos e a Aranha), baixo; Michel Dorfman (Hique Gomes, Bebeto Alves)/New (Venerável Lama) teclados. – Rogério Ratner começou sua carreira musical em 1984, apresentando-se em bares, festivais estudantis, shows coletivos, etc., acompanhando-se ao violão, cantando músicas próprias e também MPB. Merecem destaque, neste período, a participação no show coletivo “7 na 6ª”, no Araújo Viana, a premiação no Festival do Colégio Champagnat, ocorrido no Salão de Atos da PUC, e o show em dupla com Auriu Irigoite, na Terreira da Tribo. Na condição de vice-presidente da tarde e vice-presidente cultural do Centro Acadêmico André da Rocha (CAAR), da Faculdade de Direito da UFRGS, na qual se formou em 1988, foi responsável pela realização de duas mostras de música (1985 e 1986) na sede do Centro Acadêmico, contando com a participação de estudantes da faculdade de direito, tais como Rodrigo Piva, e artistas de fora da faculdade, como a então iniciante Adriana Calcanhoto, entre outros. Também criou e organizou o projeto “JUS SONORUM”, realizado na Faculdade de Direito, em que uma vez por semana artistas da cena independente de Porto Alegre se apresentavam, e que teve duração de um ano. A partir de 1993, acompanhado de banda composta por alguns dos melhores instrumentistas de Porto Alegre (Ricardo Arenhaldt, Michel Dorfman, New, Luisinho Santos, Bethy Krieger, Nico Bueno, Marcelo Delacroix, Clóvis Boca Freire, Toti Lima, dentre outros), apresentou um repertório centrado nos grandes clássicos da música norte-americana do início do século passado (Gershwin, Irving Berlin, Cole Porter, Jerome Kern, etc.). Este trabalho foi apresentado no Foyer do Theatro São Pedro (3 vezes no projeto Blue Jazz), no auditório do Instituto Cultural Norte-Americano, na Sala Radamés Gnatalli do Auditório Araújo Viana, no Sarau do Solar dos Câmara, no Teatro Renascença (Show Rubi Violeta, que teve a direção cênica de Eduardo Fachel, e participação especial do Ballet Phoenix), no Salão Mourisco da Biblioteca Pública, no Café Concerto da CCMQ, etc. Também apresentou o show intitulado “O Blues na MPB” na Usina do Gasômetro e nas Salas Radamés Gnatalli (Araújo Viana) e Luis Cosme (Casa de Cultura Mário Quintana).

Contato:
E-Mail: [email protected]