Rudson Xaulin Apresenta: Parte 2 – Dinamite Joe

Dinamite Joe / Divulgação

Eu conheci o trabalho da DINAMITE JOE através da internet, em mais alguma busca minha atrás de coisas novas, ou no meu santo garimpo em busca de bandas que eu ainda não tinha escutado. Em algum ponto da história, caí na DINAMITE JOE. Lembro-me de ter ouvido GAROTAS DE BAR, e ter achado a música muito boa, em uma levada sacana, com um clipe muito underground “serrano”. É o tipo de som que a banda faz, já imaginando como aquilo tudo soaria ao vivo, e eu estava certo. Uma curiosidade é que eu estive presente em um show da KIARA ROCKS em Igrejinha/RS, outra banda que eu tenho contato há um bom tempo, e no mesmo show, o vocalista da DINAMITE JOE, JORGE FLORES, estava presente, ele se recorda de mim lá, eu já escrevia minhas resenhas e livros, e por algum motivo, ele sabia quem eu era, mas eu não me lembro dele lá, nesse show em específico. Tempos depois nos unimos pelo FUTROCK/POA, que rolava toda semana, reunindo pessoas ligadas as bandas VERA LOCA, TEQUILA BABY, LÍTERA, IT’S ALL RED (além de mais bandas) e eu. Como eu já ia lá direto curtir o jogo e alguns churrascos que rolavam depois, movimentei o pessoal da DINAMITE JOE para irem, e eles foram. Dali em diante, passamos a ter uma amizade bem bacana. Tempos depois a banda lança um novo disco, chamado O OUTRO LADO, na minha opinião, o melhor trabalho do grupo. Nesse ponto, eu já desfrutava da amizade dos integrantes da banda, tanto que um dia fiz um churrasco na minha casa, e reuni algumas pessoas da TEQUILA BABY, KIARA ROCKS e da DINAMITE JOE, e tempos depois acabei produzindo shows, com a DINAMITE JOE sempre presente no cast e sempre me ajudando em tudo o que eu precisei. A amizade já me bastava, mas quando a banda lançou seu último trabalho (O TEMPO), fiquei eternamente registrado em sua lista de agradecimentos do disco, uma grande honraria…

Músicas em Destaque:

Muitas, posso dizer que o disco O OUTRO LADO, deve ser sempre ouvido na íntegra. Mas vou destacar OLHOS CANIBAIS, TEU BEIJO, PASSOS CERTOS e TE ESPERAR (uma das minhas favoritas), essas são essenciais. Além de dizer que as letras também chamam muito a atenção, como é o caso de O TEMPO (com um clipe muito bonito) e BEIJO DA MORTE. Claro, não posso deixar de fora GAROTAS DE BAR, que me induziu ao som da banda. Fora isso, acho que cada um precisa, e logo, cair nas graças do grupo, uma das últimas bandas em relevância quando o conjunto de música e originalidade casam perfeitamente.

Curiosidades:

Essa eu não poderia deixar de fora: A banda esteve muitas vezes na minha casa, mas o dia da jogatina de snooker foi a melhor delas. Eu tenho um pequenino bar em casa, uma peça onde guardo as coisas que ganho dos leitores, tralhas, brinquedos e antiguidades. Lá, repousa a mesa de snooker e foi nela que jogamos muitas partidas seguidas, onde eu ganhei 2x de cada integrante da banda, fazendo a famosa roda da mesa girar. Eles também tentaram vir de dupla, e eu solo, também não funcionou… Foi uma noite de muito frio e vinho, sem deixar passar que a banda inteira tentou, por duas vezes cada integrante, me tirar da mesa, mas não conseguiu.

Entrevista com JORGE FLORES:

RX – O que poderia ser feito, falando em espaço, mídia, shows, para que o rock n’ roll tenha sua relevância de outrora? Ou acha que isso é um problema interno do Brasil e da nossa cultura musical?
Jorge: Bom… Essa pergunta poderia ter várias respostas. Uma das coisas que precisa acontecer no Brasil é melhorar a educação, seria um grande passo. Porque quem tem acesso à escola, automaticamente terá mais opções e saberá distinguir o que é bom para ela. Outra é o rock se inovar, sem medos ou preconceitos. Buscar uma nova e atual sonoridade, acho que aquela época de “ficar loucão” e “morrer jovem” já era. A postura precisa mudar, temos que ter em mente também que o rock não é brasileiro de berço, é algo que foi tão forte, que se espalhou pelo planeta e nós aqui no Brasil fizemos bonito com várias bandas. Temos uma assinatura por assim dizer, nós os roqueiros, temos que inovar e continuar a luta, fazendo um som competente com letras verdadeiras, sem se preocupar com a grande mídia. Se falarmos sempre a verdade no nosso som, certamente as pessoas, cedo ou tarde, vão reconhecer o trabalho bem feito.

RX – Uma história engraçada com a sua banda, de sufoco, injustiça, algo que aconteceu, mas que não deveria ter acontecido?
Jorge: Tem uma história bizarra que aconteceu mesmo antes do show começar. Estávamos indo para uma entrevista numa rádio e nem havíamos saído da nossa cidade (Feliz/RS). Estávamos todos dentro da van e não me recordo bem, acho que teríamos que buscar alguma coisa na casa do nosso guitarrista (STEINMETZ), que fica do outro lado da cidade. Bom, pra quem não sabe, Feliz é dividida por um rio e há somente dois acessos a cidade, um pelo interior, com estrada de chão batido e outra mais ao centro, que foi nossa opção natural. O detalhe nessa história é que essa tal ponte (Ponte de Ferro antiga, que é inclusive ponto turístico) só tem uma via. Ou seja, você precisa esperar o carro que vem no fluxo contrário passar, para daí poder seguir seu caminho. Só que naquele dia tinha um motorista “super louco”: Chegamos à ponte, e o motorista ao invés de frear, e esperar o carro que vinha no sentido contrário, pisou no acelerador, e o cara que estava no outro carro, ao invés de frear, resolveu acelerar também! Parecia uma disputa igual a dos filmes, para ver quem teria mais “culhões” e ficaria na estrada. Conclusão: Os dois carros batem de frente no meio da ponte, nós todos estávamos perplexos, porque ninguém estava acreditando! Perdemos a entrevista na rádio, e ainda ficamos conhecidos por toda cidade pela história bizarra que presenciamos. Afinal, cidade pequena, tudo se sabe!

RX – E fale aqui sobre qualquer coisa que ache que está errado, direcionando isso para produtores, casas de shows, mídias, público ou até mesmo outras bandas:
Jorge: Gostaria muito de ter certeza do que está errado, porque seria a salvação! Acho que não dá para se preocupar em fazer o que todos esperam que você faça realmente. Seguir uma outra direção, talvez, procurar um equilíbrio. A música não é um produto, ao menos não na hora de conceber, de criar, ali precisa ser pura inspiração e instinto. Se começar pensando no que o produtor vai falar, certamente vai dar errado. Se houver verdade, vai ser ouvida. Quanto à mídia, se houvesse espaços divididos igualmente não haveria problema, porque tem música para todos os gostos e estilos, dá pra ter uma harmonia nisso. As bandas precisam deixar um pouco de lado “as regras”, acho que podemos ouvir e amar os grandes clássicos, podemos nos inspirar, mas acho que precisamos acima disso, achar uma nova identidade. Tentar “abrir a janela” um pouco e olhar pra fora e ver as coisas boas. Deixarmos de ser tão “fechados”. O Brasil é um país lindo e tem muita diversidade, tem espaço para quem quer trabalhar sério. Continuamos nossa luta e viva o rock n’ roll!

Clipe de OLHOS CANIBAIS
https://www.youtube.com/watch?v=1GOfL1j5kkU

Clipe de TE ESPERAR
https://www.youtube.com/watch?v=9sH4FofbxdE

Clipe de PASSOS CERTOS

Clipe de GAROTAS DE BAR
https://www.youtube.com/watch?v=UOPjWLmtK68

Clipe de O TEMPO
https://www.youtube.com/watch?v=B7abZFZ_Z9s

Página da banda no FACEBOOK:
https://www.facebook.com/Dinamite-Joe-612840312074237/?ref=br_rs

por Angels Publishing

Sobre Rock Gaúcho 13635 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!