Spartacus abre show da banda Shaman em Porto Alegre

No próximo domingo, 13 de junho, a WoodsRock Produções traz com exclusividade à capital gaúcha a banda Shaman, lançando seu novo álbum de estúdio, Origins, sucessor de Immortal (2007). O show será realizado no Drakkar Music Hall (Av. Plínio Brasil Milano, 1185), a partir das 21h, com abertura da banda gaúcha Spartacus.

Ingressos: R$ 30,00

Pontos de venda antecipada:
– Led CDs: Galeria Chaves (Andradas, 1.444/loja 9) – Fone: (51) 3212.8398
– Short Fuse: Shopping Total (Av. Cristóvão Colombo, 545/2º andar – loja 2052) – Fone: (51) 3018.7552
– Divina Comédia Pub (após às 19h): República, 649 – Fone (51) 3062.9424

Sobre Shaman:

No ano 2000, Ricardo Confessori deixou o Angra e formou o Shaman, que significa aquele que enxerga no escuro, e é representado de maneira geral pelos sacerdotes que curam através dos elementos da natureza.

Com uma mistura de heavy metal, música clássica e world music, no inicio do ano de 2002 a banda deu início às gravações de seu primeiro álbum: RITUAL.

O disco foi gravado na Alemanha, com exceção de algumas partes que foram registradas no Brasil e nos Estados Unidos, sob produção do renomado Sascha Paeth. Ritual foi muito bem recebido no Brasil e em todo mundo, sendo lançado em mais de 15 países. A World Ritual Tour durou um ano e meio, passando por todo o Brasil, além de diversos lugares na América Latina, Europa e Ásia. Foram cerca de 150 shows, uma excelente marca pra um disco de estreia.

Já em 2003, o Shaman esteve nos primeiros lugares das votações da mídia especializada, e a grande surpresa foi ter Ritual eleito como o melhor disco de música (e não só de heavy metal) de 2002 pelos leitores da Folha de São Paulo. Fato que se repetiria em 2004. Ainda neste ano a banda abriu o show do Iron Maiden no estádio do Pacaembu, em São Paulo, para aproximadamente 45.000 pessoas.

Como resultado de tanto sucesso a banda então registrou um show ao vivo no Credicard Hall, em São Paulo, com várias participações especiais: Tobias Sammet, Sascha Paeth, Marcus Viana e George Mouzayek, Andi Deris e Michael Weikath. O lançamento de RituAlive, em CD e DVD, recebeu ótimas críticas e teve muito boa vendagem. Segundo a direção da Universal Music do Brasil, RituAlive é o melhor DVD do gênero lançado no país devido à qualidade e conteúdo.

Em 2005, com o segundo álbum de estúdio praticamente finalizado e pronto para o lançamento, foi anunciada uma mudança no nome. A banda decide acrescentar um A em seu nome, passando a se chamar Shaaman.

Nos meses seguintes chega às lojas o álbum Reason. Com uma pegada mais direta. Dessa vez o disco gravado no Brasil pelo mesmo produtor do primeiro disco, Sascha Paeth, que diz que Reason é o resgate de todo o peso, feeling e espírito do heavy-metal dos anos 80 e que enquanto Ritual privilegiava a inegável virtuose dos músicos, Reason abriu espaço para a alma e o coração da banda. A música ficou mais orgânica, o que ajudou a evidenciar o contraste entre guitarras pesadas, teclados clássicos e elementos de world music.

Após a Reason Tour, que durou mais um ano, alguns desentendimentos fizeram com que três dos ex-membros da banda a abandonassem e dessem lugar a Thiago Bianchi, Léo Mancini e Fernando Quesada. Em 2007 estes novos integrantes juntamente com Ricardo Confessori gravaram o CD Immortal, lançado em setembro do mesmo ano. Com a Immortal Tour, a nova formação do SHAMAN passou por quase todo o Brasil e parte da América Latina.

Em 2008 gravaram para um público de quase 20 mil pessoas, o novo DVD intitulado AnimeAlive, lançado em meados de 2009, celebrando a bem sucedida tour de divulgação do CD Immortal.

Também em 2009, o SHAMAN foi headliner do Masters of Rock, na República Tcheca, juntamente com a GOCMAN Orchestra, registrando um marco na história do Heavy Metal Brasileiro: O SHAMAN foi a primeira banda a se apresentar e gravar um DVD junto com uma orquestra.

Para 2010, o SHAMAN vem com muitas surpresas: CD novo em andamento, novos shows e muitas novidades.

Sobre Spartacus:

Com o advento do LP Rock Garagem II, pela Gravadora gaúcha ACIT, em meados dos anos 80, oito novas bandas foram lançadas em vinil para todo o Rio Grande do Sul. Através da faixa Sem Cessar (o Destino da Humanidade), executada nas rádios alternativas e comercializada através do referido disco, SPARTACUS obteve reconhecimento por parte do público e da mídia no Rio Grande do Sul logo em seu início. Em seguida, sofre alterações estruturais em sua formação, sempre tendo Marco Di Martino como mentor. Em 29/01/1992, no Teatro-Bar Porto de Elís, em Porto Alegre, faz sua última apresentação, antes de dissolver-se por tempo indeterminado.

No final dos anos 90, o fundador e baixista Marco Di Martino, o guitarrista Victor Petroscki e o vocalista M Canto juntam-se para constituir uma base sólida que permita o retorno de Spartacus. No início de 2000, a entrada do baterista Erick Lisboa (Dee Erick) completa o quadro, possibilitando trazer a banda de volta ao palco. Participam de festivais e obtêm aprovação do público e da crítica. Em março de 2001, Victor Petroscki viaja aos EUA e Marcelo Riccardi assume as guitarras. A longo de 2001, a banda marca presença em apresentações no cenário musical de Porto Alegre, visitando também o interior do estado. Enquanto isso, é lançada a coletânea ‘Rock Soldiers Vol. VI’ que traz Spartacus como banda de abertura. Victor Petroscki retorna à banda no final do ano. Em abril de 2002, é lançada a coletânea ‘Good Music Rock Festival’ que apresenta Spartacus e outras nove bandas selecionadas dentre 270 inscritas.

Entre as principais apresentações do grupo, estão os shows no Acampamento da Juventude do Fórum Social Mundial em 2002 e 2003, a abertura do show da banda Patrulha do Espaço (fundada pelo ex-mutante Arnaldo Baptista), no Manara Bar, em Porto Alegre, e o Festival Heavy RS, no Bar Opinião, em 31 de maio de 2004, com encerramento do Dr Sin. No final de 2004, é finalizada a confecção do primeiro CD inteiramente de Spartacus: Libertae, cuja campanha de divulgação de lançamento inicia em Pelotas, em 11 de dezembro, passando por Porto Alegre, no dia 16 do referido mês e culminando com a apresentação de 28 de janeiro de 2005, pelo Fórum Social Mundial, televisionada para todo o Rio Grande do Sul pela TVE/RS.

Após o lançamento do CD Libertae, Spartacus sai de cena para reavaliação e conseqüente reestruturação da banda. Victor Petroscki volta aos Estados Unidos e Erick Lisboa retira-se para projetos musicais diversos. Em seus lugares entram Rodolfo Chaves e Guilherme Oliveira, respectivamente guitarras e bateria. Em setembro de 2007, Rodolfo deixa Spartacus. Em novembro, o ex-guitarrista Márcio Massa – integrante de uma marcante formação dos anos 80 – faz uma rápida passagem pela banda. Victor Petroscki retorna dos EUA e se reincorpora ao grupo em setembro de 2008. Recomeçam os trabalhos para a preparação de um novo disco.

Em maio de 2010, começam as gravações do segundo disco de Spartacus.

Sobre Rock Gaúcho 13768 Artigos
O portal Rock Gaúcho está há 15 anos levando o que há de melhor do rock feito no sul do Brasil para todo o mundo através da Web! Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro de tudo que acontece por aqui!