Twin Cities

Para quem não sabe, Neil Gaiman é um escritor inglês que, em seu vasto repertório produtivo (Gaiman é autor da HQ  Sandman, da DC Vertigo), escreveu o livro ‘Deuses Americanos’. O livro narra a história de Shadow, um ex-presidiário  viúvo que, ao sair da prisão, conhece um homem misterioso que o levará a uma espécie de batalha épica contra as  divindades do mundo moderno: internet, televisão, telefones celulares… Entre idas e vindas e viagens ‘psicoespirituais’,  Shadow, entre outras coisas, passaria por Twin Cities. Essa pequena introdução pode servir para aguçar a curiosidade  acerca da obra, mas, nesse caso, é uma pequena explicação para a inspiração do nome da banda bajeense Twin Cities.  Pelo menos para Diego Maraschin, vocalista e principal compositor da banda. Para os outros integrantes, Beto Martinez e  Igor Montanari (bateria e baixo respectivamente), pode também ser uma analogia à própria história da banda, já que  Diego vive em Porto Alegre há vários anos e, por isso, a relação entre eles e as cidades onde vivem pode ser vista, às  vezes, como vidas em ‘cidades gêmeas’. A banda começou sua trajetória em 2008, quando Diego começou a escrever composições ao violão. Resolveu, então,  chamar o amigo Igor e,ao tocarem as músicas juntos, viram que poderiam funcionar com roupagem elétrica. Igor, até  então, mal sabia tocar o instrumento. Sendo assim, então, com poucos dias de banda, decidiram por registrar o material.  Chamaram o amigo Betinho e estava formada a banda. A Twin Cities nasceu com a idéia de tocar somente composições próprias. Suas principais e mais notáveis influências  sonoras vem das bandas de Seattle (leia-se Nirvana, Mudhoney, Pearl Jam), além de outras, como Smashing Pumpkins e  Incubus. Suas letras são todas em inglês, e tratam de assuntos cotidianos, coisas da vida, mas sempre carregando  consigo o espírito do rock do gênero, de correr contra a corrente, da rebeldia, seja nas letras como na forma de tocar. O foco da banda é, principalmente, os shows ao vivo. Mas, como toda banda de rock ‘alternativa’ e independente, não  pode deixar de batalhar na divulgação de EPs e singles, a busca por diretores de vídeos e, rádios que, por ventura, abram  espaço para o trabalho da banda. A Twin Cities acumula no currículo vários shows no Atelier Coletivo, em Bagé, além da Concha acústica da nova praça de  Esportes, show no Complexo Master, Garagem Hermética, FNAC e Dr. Jekyll em Porto Alegre. Ainda em 2008, foi gravado, em Bagé, o EP ‘Five Days Off’, com seis músicas e produção do músico bajeense Teco  Marques. No ano seguinte, foi gravado um single, porém, a banda foi à capital e o gravou com o renomado produtor RayZ, ex-guitarrista do RPM, e Os Ostras, e com trabalhos assinados para Jupiter Maçã entre outros. O single foi gravado no estúdio SOMA. Em 2010 a banda gravou no Studio Digital em Bagé, o seu primeiro disco, Odd, e  foi lançado dia 10 de setembro. Em 2011 além de apresentar uma nova música em seu site, começaram os preparativos  para os lançamentos de um projeto que disponibilizará gratuitamente 4 eps em intervalos de 4 em 4 meses [além de  singles retirados desses eps com b-sides, exclusivos para assinantes da newsletter, totalizando 36 músicas]. O primeiro Ep , Everybody Knows, Except Me,  foi lançado em julho de 2011, diretamente no site da banda. Para mais  informações, acesse: http://www.tcitiesmusic.com

Contato:
E-Mail: [email protected]
Site: http://www.tcitiesmusic.com
Facebook: http://www.facebook.com/twincitiesmusic
Twitter: http://twitter.com/tcitiesmusic
YouTube: http://www.youtube.com/tcities08
TramaVirtual: http://tramavirtual.uol.com.br/twin_cities
MySpace: http://www.myspace.com/tcities